Main menu

Palestra sobre Tecnologias de Visualização de Dados foi ministrada no 3º CEDIT

A palestra "Tecnologias de Visualização de Dados " - ministrada por Leonardo Felipe Franchi , demonstrou aspectos relacionados com a utilização de recursos Web para construção de visualizações de dados, no 3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT) organizado pelo Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF), no dia 08 de Julho de 2017 no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã.

A palestra está disponível em nosso canal no Youtube (http://bit.ly/2wS5j9p) através do link: http://bit.ly/2xcJFNt .

Em breve, o CoDAF disponibilizará outros vídeos referentes as palestras oferecidas no 3º CEDIT, inscreva-se em nosso canal e acompanhe as novidades.

Conjunto de Dados sobre Exportação do Café Brasileiro

Atualmente, o Brasil é considerado o maior exportador de café do mundo, atividade que contribui de maneira considerável no comércio do país.

Com a missão de representar e promover o desenvolvimento do setor exportador de café, tanto em âmbito nacional quanto internacional, o CECAFE, Conselho dos Exportadores de Café do Brasil, originou-se da fusão de duas entidades representativas do setor: Associação Brasileira dos Exportadores de Café (ABACAFÉ) e da Federação Brasileira dos Exportadores de Café (FEBEC).

Segundo o CECAFE, o café, em sua maioria, é exportado pelo Brasil na forma de commodity, sem que haja beneficiamento do produto. Ciente disto e da importância de uma aproximação do pequeno produtor com informações úteis do setor, o projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF) disponibiliza em seu portal uma apresentação e descrição da fonte de dados acerca da exportação do café brasileiro.

Para maiores informações sobre a fonte de dados, acesse: http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de- dados/1036-conjunto- de-dados- sobre-exportacao- do-cafe- brasileiro

Mais informações sobre o CECAFE disponíveis em: http://www.cecafe.com.br/

O projeto CoDAF também disponibiliza outras fontes de dados, para conferir acesse: http://codaf.tupa.unesp.br/

Revisado por: Elaine Parra Affonso 

Palestra sobre Propriedade intelectual no contexto acadêmico e profissional foi ministrada no 3º CEDIT

O 3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (III CEDIT), ocorrido no dia 08 de julho de 2017, apresentou, em uma das palestras, a importância das patentes e dos registros de obras como forma de preservar e referenciar os direitos dos autores pelas suas criações intelectuais, ministrada pela Profa. Ms. Elizabete Monteiro (UNESP/Marília).

A palestra está disponível em nosso canal no Youtube (http://bit.ly/2wS5j9p) através do link: http://bit.ly/2vY0QG4 .

Em breve, o CoDAF disponibilizará outros vídeos referentes as palestras oferecidas no 3º CEDIT, inscreva-se em nosso canal e acompanhe as novidades.

 

Dados Sobre a Cultura do Milho a Partir da CONAB

Segundo a Associação brasileira dos produtores de milho, o Brasil encontra-se hoje na segunda posição dos países exportadores de milho em nível mundial.

A Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), associada ao Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), com alcance nacional no relacionado à gestão agrícola, auxilia todo o ciclo de produção desde o início da lavoura até a chegada ao consumidor final.

O projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF) ciente da importância de um canal de aproximação entre as fontes de dados referentes a cultura do milho disponibilizadas na internet e os usuários, disponibilizou a fonte de dados "Séries históricas da área plantada e produtividade do milho no centro-oeste brasileiro nas primeiras e segundas safras desde 1976/1977 até 2015/2016", que tem como objetivo aproximar os usuários da possibilidade de tomar suas decisões a partir de dados sobre a cultura do milho, dados com qualidade, gerados na CONAB.

A fonte de dados traz informações a respeito das funções da Conab. Em sua estrutura aborda a descrição de dados históricos, de maneira a descrever valores relativos às quantidades de milho plantadas e a produtividade dessas áreas.

Para melhor informar os leitores, a fonte de dados faz uso de exemplos gráficos e interpretações dos dados obtidos.

Para acessar a fonte, e obter informações relacionadas às instituições citadas acessem os links:

Fonte de Dados: http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados/1032-series-historicas-da-area-plantada-e-produtividade-do-milho-no-centro-oeste-brasileiro-nas-primeiras-e-segundas-safras-desde-1976-e-1977-ate-2015-2016

Associação brasileira dos produtores de milho: http://www.abramilho.org.br/panorama-milho-e-perspectivas-para-safra-20162017-thome-guth-conab/

Sobre a CONAB: http://www.conab.gov.br/conab-quemSomos.php?a=11&t=1

Revisado por Diana Vilas Boas Souto Aleixo

Vestibular para o curso de Licenciatura em Educação do Campo está com inscrições abertas

A Universidade de Brasília (UnB) está com inscrições abertas para o curso de Licenciatura em Educação do Campo.

O vestibular é destinado à população do campo, pessoas que tenham concluído o ensino médio ou estejam em fase final de conclusão e que não tenham formação em nível superior. Segundo a UnB, o objetivo do curso é formar e habilitar profissionais na educação fundamental e média que atuam como professores ou outras atividades educativas junto às populações do campo.

A inscrição só poderá ser feita pela internet e, para realizá-la, é imprescindível o número de Cadastro de Pessoa Física (CPF) do candidato.
As inscrições para o vestibular são gratuitas e podem ser feitas até 31 de agosto de 2017 pelo site: http://www.cespe.unb.br/vestibular/VESTDIST_18_1_EDUCAMPO/.

As 140 vagas oferecidas pela UnB serão divididas entre o primeiro e o segundo semestres de 2018. O vestibular contará com sistema de cotas para diversas categorias: estudantes oriundos de escolas públicas, renda familiar inferior a 1,5 salários mínimos, candidatos que se autodeclararam negros, pardos ou indígenas e candidatos com deficiência.

O curso de Licenciatura em Educação do Campo é feito no sistema de alternância, sendo dividido em Tempo Escola e Tempo Comunidade. Dessa forma é possível que o aluno estude sem abandonar seus territórios. Segundo a Universidade de Brasília, "Um dos objetivos da proposta pedagógica é manter os alunos no meio em que vivem, mesmo durante a graduação. Por isso, desde o primeiro semestre, os estudantes alternam o aprendizado no campo com a prática na zona rural. No chamado Tempo-Escola, há aulas por até 55 dias, com preparação do material que será utilizado na comunidade. Depois, no Tempo-Comunidade, os alunos partilham o saber com a comunidade de origem, e aplicam os conhecimentos adquiridos na UnB".

Mais informações, acesse o edital: http://www.cespe.unb.br/vestibular/VESTDIST_18_1_EDUCAMPO/arquivos/ED_1_2017_VEST_CAMPO_ABT.PDF


Fontes:
http://unb2.unb.br/aluno_de_graduacao/cursos/educacao_do_campo
http://fup.unb.br/educacao-do-campo/
http://www.cespe.unb.br/vestibular/VESTDIST_18_1_EDUCAMPO/

CoDAF disponibiliza descrição de fonte de dados sobre série histórica da produção de Cana-de-Açúcar publicada pela CONAB

O Brasil é líder na produção  de Cana-de-Açucar e exportação de seus derivados como açucar e etanol, gerando milhares de empregos em toda cadeia produtiva e arrecadação para o agronegócio brasileiro.

O projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF), apresenta em seu portal uma descrição de fonte de dados sobre a série histórica da produção de Cana-deAçucar disponibilizada pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) que é vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA,

Um dos objetivos da CONAB é realizar o levantamento de dados sobre séries históricas de preços, que com base nesta fonte de dados disponibilizada, as autoras Alana Beatriz Cardozo Dos Santos, Alanis Mayumi dos Santos, Ana Carolina Jesus Calixto, Julia, Maria Defavari Sarto, Natalia Cristina Rodrigues e Thais Martins Balbi apresentam uma descrição desta fonte e formas de visualização dos dados através de gráficos. 

Como exemplo a apresentação da série histórica de produtividade em kg/ha das macrorregiões e do Brasil através de um gráfico de linha. Para maiores informações acesse: Análise da Série Histórica da Cana-de-Açucar 

O CoDAF também apresenta a descrição de outras fontes de dados por meio do portal, disponíveis em: http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados

 

Fontes:

Importância da Cana-de-Açucar. Disponivel em:<http://www.mecatronica.eesc.usp.br/wiki/index.php/Import%C3%A2ncia_da_cana-de-a%C3%A7%C3%BAcar>, Acesso em 3 de agosto de 2017.

Industria da cana registra saldo positivo na geração de empregos no país. Disponível em:<http://www.unica.com.br/noticia/7657299920336510230/industria-da-cana-registra-saldo-positivo-na-geracao-de-empregos-no-pais/>.Acesso em 3 de agosto de 2017.

Análise da série histórica da produção de Cana-de-Açúcar publicada pela CONAB. Disponível em:<http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados/1027-analise-da-serie-historica-da-producao-de-cana-de-acucar-publicada-pelo-conab-em-2017>.Acesso em 3 de agosto de 2017.

Palestra “Recuperación de datos sobre educación ambiental em los portales oficiales do gobierno de los países de América del Sur” é ministrada no III CEDIT.

Foi realizado em 8 de julho de 2017 a terceira edição do evento Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (III CEDIT), que é organizado pelo projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF), na Faculdade de Ciências e Engenharia (FCE) – UNESP Tupã/SP em que contou com apresentações que abordaram temas relacionados com Dados, Informação e Tecnologia.

Uma das palestras ministradas foi a “Recuperación de datos sobre educación ambiental em los portales oficiales do gobierno de los países de América del Sur” pela Profª. Ms. Maria Laura Foradori da Universidad Nacional de Córdoba Argentina, que comparou o cenário da disponibilização de dados sobre educação ambiental em portais governamentais de países como Argentina e Brasil

A palestra foi gravada e esta disponivel no canal do youtube do projeto CoDAF através do link: https://youtu.be/S-gcI6iXAPs.

 

Curso de Registro de Marcas é realizado em Marília, com participação do CoDAF

Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação – ASSERTI de Marília/SP, organizou na quinta-feira dia 27 de Julho de 2017 o workshop “Processos de Registro de Marcas” realizado no Centro Universitário Eurípides de Marília – UNIVEM.

O membro do CoDAF Pedro Henrique Santos Bisi, mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Informação da Universidade Estadual Paulista (UNESP) – Campus de Marília, foi convidado para participar do curso, que abordou “Conceitos Básicos de Marca”, “Importância do Registro”, “Processo Eletrônico de Registro de Marca”, “Acompanhamento de Processo Eletrônico”, “Atividades Práticas e Consulta de Marcas” e “Depósito do Pedido de Registro”.

O objetivo é adquirir conhecimentos teóricos e práticos sobre Registros de Marcas para replicar aos pequenos produtores o conhecimento adquirido, aplicando-os no contexto do setor agrícola, em que o registro de marca permita a venda de seus produtos  com a possibilidade de reconhecimento pelos clientes aumentando a possibilidade de fideliza-los, tornando-se um diferencial competitivo.

* Convite cedido gentilmente pela ASSERTI.

3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT)

 

O 3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT) ocorreu no dia 08 de julho de 2017, no auditório da Faculdade de Ciências e Engenharia (UNESP/Tupã), e contou com apresentações que abordaram temas relacionados com a utilização de tecnologias informacionais para acesso a dados em diversos contextos.

A apresentação da Profa. Ms. Elizabete Monteiro (UNESP/Marília), intitulada "Propriedade intelectual no contexto acadêmico e profissional", ressaltou a importância das patentes e dos registros de obras como forma de preservar e referenciar os direitos dos autores pelas suas criações intelectuais.  

Na sequência, o estudante de Administração, Leonardo Franchi (UNESP/Tupã) demonstrou aspectos relacionados com a utilização de recursos Web para construção de visualizações de dados, na palestra intitulada "Tecnologias para visualização de dados".

A Prof. Renata Pinheiro (ETEC/Marília) apresentou uma proposta de oficina para trabalhar práticas de gestão em propriedades rurais de pequeno porte com o uso de recursos informacionais, intitulada "Modelagem de negócios com Design Thinking e Canvas".

A quarta apresentação do encontro, realizada pelo mestrando Victor Borba (UNESP/Marília), trouxe opções de "Dispositivos móveis na agricultura", evidenciando opções de aplicativos para ser utilizado nas práticas agrícolas.

A edição do evento foi concluída com a palestra da Profa. Ms. Maria Laura Foradori (Universidad Nacional de Córdoba/Argentina),intitulada "Recuperación de datos sobre educación ambiental en los portales oficiales de gobierno de los países de América del Sur", comparando o cenário da disponibilização de dados sobre educação ambiental em portais governamentais de países como Argentina e Brasil.

A próxima edição do evento esta prevista para o mês de Setembro e é aberta para toda comunidade acadêmica, sem custos de participação, objetivando o compartilhamento de conhecimento entre professores, alunos de graduação e de pós-graduação. 

O arquivo com os slides das apresentações do 3º CEDIT encontram-se disponíveis, clicando aqui.

WhatsApp Image 2017 07 26 at 20.25.26

 

IV Encontro Competências Digitais para Agricultura Familiar abre o processo de submissão para artigos

A quarta edição do Encontro Competências Digitais para Agricultura Familiar (IV e-CoDAF) acontecerá nos dias 10 e 11 de Novembro de 2017 e este ano tem como objetivo levantar reflexões a respeito do uso de dados no setor rural, seguindo o tema “TRANSFORMANDO DADOS EM POTENCIAL COMPETITIVO PARA PEQUENOS PRODUTORES".

O evento é organizado pelo projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF) e neste ano conta com o apoio de instituições de ensino superior como UNESP - Tupã, FATEC - Presidente Prudente e Universidade Federal do Pará, e terá transmissão simultânea entre os pólos com o objetivo de ampliar a visibilidade e o alcance dos resultados, facilitando a troca de informações acerca do uso das TICs no meio rural.

O IV e-CoDAF será dividido em dois dias: No primeiro dia ocorrerão palestras ministradas por profissionais, pesquisadores e professores nacionais e internacionais abordando a temática do evento, junto com as apresentações dos trabalhos aprovados; No segundo dia o evento terá como foco a realização de oficinas para contribuir com o desenvolvimento de competências digitais.

O período de submissão de trabalhos para o IV e-CoDAF estende-se até 31/08/2017, e pode ser realizado por meio do endereço eletrônico: http://codaf.tupa.unesp.br:8083 

Os Anais do evento terão selo ISSN.

Contamos com sua participação, para mais informações visite o portal do evento: http://codaf.tupa.unesp.br:8083

ecodaf-noticia-submissao

 

Conclusão dos encontros do grupo CoDAF no primeiro semestre

Na  sexta-feira, dia 23 de Junho, o grupo CoDAF concluiu seu ciclo de encontros presenciais no semestre com a realização da oficina "Identificação e representação de Fontes de Dados sobre Agricultura Familiar", na qual os participantes localizaram bases de dados na Web que continham informações que podem ser úteis para pequenos produtores, aplicando elementos de visualização para facilitar a apresentação e uso dos dados. 
 
O conteúdo gerado durante a oficina será incluído no Portal CoDAF ao longo do mês de Julho, e é resultado dos debates realizados durantes os encontros realizados no primeiro semestre, em que foram debatidos temas para pesquisas relacionadas com agricultura e tecnologia, apresentando instrumentos e fontes para coleta de dados.
 
Após a oficina, houve a palestra internacional da doutoranda Maria Laura Foradori, que abordou "A Questão da Informação e dos Dados na Legislação Ambiental da Argentina e do Brasil". A apresentação trouxe assuntos sobre Politicas Públicas, Informação Ambiental, Marco Normativo Regional e Nacional. Os slides da palestra encontram-se disponível em: clique aqui para baixar.
 
Os encontros presenciais serão retomados a partir da primeira semana do mês de Agosto. Durante o mês de Julho as atividades serão concentradas nas pesquisas individuais e coletivas realizadas entre os integrantes.

III CEDIT acontece no dia 08 de julho

cedit iii

O 3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT), será organizado no dia 08 de julho de 2017, às 14 horas, no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã.

Nesta edição, o evento abordará temas como o uso de tecnologias para visualização, gestão e acesso a dados na agricultura, questões sobre direitos autorais no contexto acadêmico/profissional e recuperação de dados sobre educação ambiental na web. As apresentações serão ministradas por pós-graduandos e professores de áreas correlatas a Ciência da Informação, Administração e Tecnologia.

A programação para o CEDIT contará com apresentações de 15 minutos, como mostra o cronograma a seguir:

(14:00) Recepção e Inscrição

(14:20) "Propriedade intelectual no contexto acadêmico e profissional" - M.S. Elizabete Monteiro

(14:40) "Tecnologias para visualização de dados" - Leonardo Franchi

(15:00) "Tecnologias de gestão para agricultores familiares: Modelagem de negócios com Design Thinking e Canvas" - Renata Pinheiro

(15:20) "Dispositivos móveis na agricultura" - Victor Borba

(15:40) "Recuperación de datos sobre educación ambiental en los portales oficiales de gobierno de los países de América del Sur" - Maria Laura Foradori

(16:00) Perguntas e discussões

(16:30) Encerramento

As inscrições serão realizadas na recepção do evento.

 

 

RECoDAF está no Qualis da Capes

Esta semana a RECoDAF passou a ser avaliada no sistema Qualis da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nìvel Superior (Capes), classificada como B5 na área de Ciência da Informação.

A avaliação Qualis é um conjunto de procedimentos utilizados pela Capes para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas brasileiros de pós graduação.

A inclusão da ReCoDAF neste seleto grupo de periódicos avaliados pela Capes é vista como uma grande conquista do Projeto Competências Digitais para Agrícultura Familiar e uma grande contribuição para o compartilhamento e promoção do conhecimento formulado nas pesquisas desenvolvidas.

Segundo os editores professores Fernando de Assis Rodrigues e Diana Vilas Boas Souto Aleixo, a conquista é fruto da colaboração entre equipe interna, colaboradores, avaliadores e autores, e nos próximos 2 anos a equipe da RECoDAF irá se esforçar para não só manter esta posição de destaque no cenário brasileiro, mas também ampliarão sua atuação nas bases de dados internacionais e nos índices norteamericanos e europeus.

2º CEDIT aconteceu dia 3 de junho

Dia 3 de junho, o projeto CoDAF organizou o 2º Ciclo de Estudos Dados Tecnologias e Informação na Faculdade de Ciências e Engenharia (FCE), no auditório Shunji Nishimura da UNESP de Tupã.

O CEDIT teve como objetivo em sua segunda edição, a abordagem de metodologias para pesquisas relacionadas com as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), na perspectiva da Ciência da Informação.

As apresentações foram realizadas com três palestras de 15 minutos, e uma, com a duração de 50 minutos, com membros do projeto CoDAF.
A primeira palestra, apresentada pelo Prof. Dr. Fernando de Assis Rodrigues, teve como tema a “Raspagem de dados em site governamentais”. Foi abordado o processo de coleta automatizada de conjunto de dados contidos em Websites, como exemplo portais governamentais. A ferramenta para extração de dados abordada foi a Web Scraper, sendo uma extensão do navegador Chrome para extração de dados de páginas da web, onde os dados raspados podem ser exportados com o formato CSV - Comma Separated Values, sendo que vários aplicativos conseguem abri-lo, como LibreOffice, OpenOffice, Microsoft Excel entre outros. A palestra esta disponivel no canal do CoDAF no youtube, clique aqui para assistir o vídeo. Clique aqui para baixar a apresentação.

A mestranda Jacquelin Teresa Camperos Reyes, proferiu a palestra que teve como tema "Dados científicos: estudo de caso do diretório de repositórios de dados www.re3data.org". Sendo o re3data.org – Registry of Research Data Repositories, um Diretório de Repositórios de Dados Científicos fornecido por DataCite, ou seja, de dados científicos, disponível na web, e que permite o acesso permanente a conjuntos de dados em um ambiente confiável para pesquisadores, órgãos de financiamento, editores e instituições acadêmicas. Clique aqui para baixar a apresentação.

O mestrando Pedro Henrique Santos Bisi, proferiu a palestra intitulada "Uso de dados para gestão de pequenas propriedades rurais", apresentou o cenário da importância dos pequenos produtores, e como o uso de dados para gestão de suas propriedades, pode ser um diferencial competitivo. Para finalizar ele demonstrou o uso de uma planilha desenvolvida e disponibilizada pelo projeto CoDAF para gestão de estoque de insumos.

Para finalizar, o Prof. M.S. e Doutorando Fábio Mosso Moreira, ministrou a palestra "Análise de conteúdo aplicada em pesquisas na Ciência da Informação", onde se descreveu o método “Análise de Conteúdo” e contextualizou sua aplicação na área da Ciência da Informação. Para tal, explanou-se na Metodologia Científica as abordagens existentes, como quantitativa e qualitativa; em como se refere quanto aos seus objetivos, como exploratória, descritiva ou explicativa. Abordou-se as fases de construção, como coleta e análise; as técnicas e instrumentos utilizados na fase de coleta e análise. Foi explicado no método Análise de Conteúdo, suas funções e em como aumentar a propensão à descoberta, com os tipos léxica ou categorial; as suas fases, como exploração do material, que utiliza categorias; o tratamento dos resultados, com análises críticas para se aplicar no contexto da Ciência da Informação. Clique aqui para baixar a apresentação.

2º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia

WhatsApp Image 2017 06 01 at 18.15.53

O 2º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT) organizado pelo Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF), acontecerá no dia 03 de junho de 2017 a partir das 14 horas no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã.

Cronograma do CEDIT:

14:00 - Recepção e inscrição dos participantes

14:20 - Palestra "Raspagem de dados em sites governamentais" - Prof. Dr. Fernando de Assis Rodrigues.
14:40 - Palestra -"Dados científicos: estudos de caso do diretório de repositórios de dados www.re3data.org". -  Jacquelin Teresa Camperos Reyes.

15:00 - Palestra "Análise de conteúdo aplicada em pesquisas na Ciência da Informação" - M.S. Fábio Mosso Moreira.
16:00 - Palestra "Uso de dados para gestão de pequenas propriedades rurais" - Pedro Henrique Santos Bisi.

16:15 - Fechamento do CEDIT.

As inscrições serão realizadas na recepção do evento.

1º CEDIT aconteceu dia 05 de maio.

Dia 05 de maio, o projeto CoDAF organizou o 1º Ciclo de Estudos Dados Tecnologias e Informação na Faculdade de Ciências e Engenharia (FCE) na UNESP de Tupã.

O CEDIT teve como objetivo em sua primeira edição, o levantamento de reflexões sobre o uso de metodologias para pesquisas relacionadas com as Tecnologias da Informação e Comunicação no setor rural, desde a perspectiva da Ciência da Informação.

Essas reflexões partiram da apresentação de palestras de membros do projeto CoDAF, onde a primeira, apresentada pela Prof. Ma. Elaine Parra Affonso, foi, Metodologia qualitativa nas pesquisas sobre TIC para o setor rural. A metodologia qualitativa procura compreender os fenômenos dos sujeitos com base na coleta de dados, onde os sujeitos fazem parte integrante do processo investigativo.

Em um segundo momento, a Prof. Ma. Elizabete Cristina de Souza de Aguiar Monteiro ministrou a palestra intitulada Usuários e Usos de um arquivo digital: estudo de caso do DANS.  O DANS é um instituto para repositórios digitais de dados de pesquisa, que permite disponibilizar e reutilizar dados coletados em investigações. O instituto está acessível no link https://dans.knaw.nl/en.

Para finalizar, a Prof. Ma. Diana Vilas Boas Souto Aleixo buscou explicitar a importância da construção conceitual da Ciência da Informação e seu aporte nas pesquisas sobre TIC para o setor rural, apresentando a palestra intitulada Epistemologia da Ciência da Informação para pesquisas sobre TIC para o setor rural. Nela abordou o curso histórico da Ciência da Informação, a diferenciação no tempo dos conceitos que ela aborda, buscando a consequente ampliação do debate com as teorias e subáreas dessa área do conhecimento, no norteio de pesquisas dentro do setor rural.

Links para acesso as apresentações digitais: clique aqui.

Revisão: Jacquelin Teresa Camperos Reyes

Revista Eletrônica Competências Digitais para Agricultura Familiar (ReCoDAF) agora faz parte do Directory of Open Access Journals (DOAJ)

Esta semana a Revista Eletrônica Competências Digitais para Agricultura Familiar (ReCoDAF) passou a ser indexada pelo Directory of Open Access Journals (DOAJ).

O DOAJ é uma base de dados de periódicos de acesso aberto, esta tem como um de seus objetivos garantir a visibilidade dos trabalhos publicados em revistas científicas e acadêmicas de acesso aberto. 

Hoje, são indexadas na base de dados 9,372 periódicos de diversas áreas, que representam o total de 129 países.

Considera-se que a inclusão da ReCoDAF no DOAJ é uma grande contribuição para o compartilhamento e promoção do conhecimento formulado a partir dos debates sobre a adoção das Tecnologias de Informação e Comunicação na Agricultura.

Para saber mais sobre a ReCoDAF, visite a página: http://codaf.tupa.unesp.br:8082/index.php/recodaf

 

 

 

Importância da análise de viabilidade econômica para agricultores familiares

Agricultores Familiares possuem conhecimentos intrínsecos muitas vezes passados de geração para geração, seja para uso nas produções ou gestão da propriedade.  Porém as passagens de tempo entre essas gerações são acompanhadas com novidades, mudanças governamentais, legislativas, entre outras, que mudam o resultado de métodos e metodologias entre épocas por causa da mudança de cenário.

Como exemplo, a inclusão e aumento de pontos de pedágio, as mudanças climáticas, as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), os maquinários entre outras mudanças e novidades tecnológicas, que afetam positiva ou negativamente a precificação dos produtos.

A análise de viabilidade econômica permite ao agricultor familiar, calcular o custo de determinada produção que seja de seu interesse, analisando se será ou não viável para produção em sua propriedade. Exemplo: se o custo ficar inferior ao preço praticado pelo mercado, haverá uma margem para que ele obtenha seu lucro viabilizando a produção e caso o custo fique superior ao preço praticado no mercado, inviabiliza a produção, permitindo buscar outras alternativas que venham ser vantajosas para o agricultor.

O uso de Tecnologias de Informação e Comunicação podem auxiliar os agricultores familiares, facilitando esta análise de viabilidade econômica como o uso de planilhas e/ou aplicativos.

 

 

Importância da análise de viabilidade econômica para agricultores familiares

Agricultores Familiares possuem conhecimentos intrínsecos muitas vezes passados de geração para geração, seja para uso nas produções ou gestão da propriedade.  Porém as passagens de tempo entre essas gerações são acompanhadas com novidades, mudanças governamentais, legislativas, entre outras, que mudam o resultado de métodos e metodologias entre épocas por causa da mudança de cenário.

Como exemplo, a inclusão e aumento de pontos de pedágio, as mudanças climáticas, as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), os maquinários entre outras mudanças e novidades tecnológicas, que afetam positiva ou negativamente a precificação dos produtos.

A análise de viabilidade econômica permite ao agricultor familiar, calcular o custo de determinada produção que seja de seu interesse, analisando se será ou não viável para produção em sua propriedade. Exemplo: se o custo ficar inferior ao preço praticado pelo mercado, haverá uma margem para que ele obtenha seu lucro viabilizando a produção e caso o custo fique superior ao preço praticado no mercado, inviabiliza a produção, permitindo buscar outras alternativas que venham ser vantajosas para o agricultor.

O uso de Tecnologias de Informação e Comunicação podem auxiliar os agricultores familiares, facilitando esta análise de viabilidade econômica como o uso de planilhas e/ou aplicativos.

 

 

Secretaria de Produção e Agricultura Familiar – Sepaf do Governo de Mato Grosso do Sul poderá perder representatividade

Com a intenção de reduzir os gastos para que ocorra uma melhora na saúde financeira do governo de Mato Grosso do Sul através do equilíbrio de contas, o governo irá realizar uma diminuição de 13 para 11 secretarias do estado. Esta diminuição será realizada por meio de fusão entre algumas secretarias: a Secretaria de Produção e Agricultura Familiar (Sepaf) e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade). Esta fusão faz parte de um projeto de reforma administrativa do governo.

        Apesar da fusão entre secretarias, estas a serem transformadas em pasta única, poderão deixar de ter a representatividade para determinados agentes, como a Sepaf, que possui papel preponderante na representatividade e busca de melhorias para seu público alvo, os agricultores familiares.

        Caso a Sepaf no processo de fusão perca este papel de agente representativo, poderá desencadear um aumento na assimetria informacional entre agricultores familiares e latifundiários, espelhando este resultado na mesa dos consumidores.

Fonte: http://www.campograndenews.com.br/politica/governo-preve-extinguir-secretarias-de-habitacao-e-agricultura-familiar 

http://www.correiodoestado.com.br/politica/governo-de-mato-grosso-do-sul-pode-extinguir-ate-tres-secretarias/297477/

 

 

Pesquisa avalia uso de porta-enxerto em pomares de limão

A região Noroeste do Estado de São Paulo é uma grande produtora de limão da variedade taiti, com mais de 1 milhão de pés, produzindo 100 mil toneladas da fruta. A pesquisadora Mariângela Cristofani Yaly está à frente do estudo com porta enxertos, que pode dar ainda mais força a esse mercado.
A pesquisa constitui em avaliar o porta-enxerto do limão taiti, que é a parte da planta que fica no solo, sendo responsável por várias características da planta e da fruta como: sabor, conteúdo químico, porte da planta e resistência a doenças e à seca.
A técnica consiste na enxertia de um material genético mais rústico, que dá condição para o bom desenvolvimento da planta. O pomar experimental foi plantado em 2013 em uma unidade da Apta (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios), em Pindorama (SP).
A partir de uma comparação, a variedade mais conhecida é a quebra-galho, a qual é possível plantar cerca de 400 pés por hectare, o que corresponde a uma produção de 30 toneladas de limão por safra. Com uma das novas variedades, a produção pode chegar até 33 toneladas.
Uma copa com menor porte não precisa ser podada, facilitando a colheita e ainda aumentando a influência da pulverização.
Os frutos de cada porta-enxerto vão para o laboratório. A pesquisadora Maria Beatriz Bernardes Soares checa os componentes dos limões de cada porta-enxerto testado, sendo avaliados: acidez, tamanho, peso, quantidade de suco, vitamina C e o teor de açúcar. Depois de todos esses testes, é possível apontar qual o melhor porta-enxerto. Ao todo, foram estudados 17 tipos de porta-enxertos. Segundo a pesquisadora, dois deles se destacaram. Um pela parte física e rendimento de suco. O outro, pela parte química, teor de açúcar, vitamina C e qualidade do suco.

Fonte: http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/nosso-campo/noticia/2016/11/pesquisa-avalia-uso-de-porta-enxerto-em-pomares-de-limao.html

Empreendimento do setor de sorvetes da cidade de Porto Alegre/RS utiliza somente matéria prima provinda de agricultores familiares

O empresário responsável pela abertura de uma gelateria em Porto Alegre/RS, trabalhava como consultor de empresas pelo Sebrae, onde aproveitou o contato de antigos clientes para construir a rede de fornecedores de matéria prima para seu empreendimento.  O intuito do empresário é de construir uma rede através de uma cadeia colaborativa.

Ele prioriza a busca de produtos provindos de fornecedores certificados e licenciados pelo governo que caracterizem estes como agricultores familiares, para que o empresário possa utilizar uma fonte de matéria prima mais saudável na produção de seus produtos.

Iniciativas como deste empresário, fomenta a continuidade da produção de agricultores familiares e suas futuras gerações, fazendo com que busquem melhorias para a propriedade seja produtiva ou de gestão, principalmente com a inclusão de tecnologias de Informação e Comunicação em suas propriedades.

Fonte: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/01/ge/noticias/542810-gelateria-usa-apenas-produtos-de-agricultura-familiar.html

Revisado por: Silvia Cristina Vieira 

Publicação dos Anais do III e-CoDAF

Encontra-se publicado os Anais contendo os trabalhos apresentados no III Encontro Competências Digitais para Agricultura Familiar (III e-CoDAF), realizado simultaneamente nas Faculdades de Ciências Contábeis e Administração (FACCAT) de Tupã, na Faculdade de Tecnologia de Presidente Prudente (Fatec), e nas Faculdades Adamantinenses Integradas (UniFAI), nos dias 18 e 19 de novembro de 2016, tendo o apoio da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e da Pró-Reitoria de Extensão Universitária (PROEX).

Os trabalhos publicados abrangem a temática "Tecnologia da Informação e Comunicação no setor rural: estudos, propostas, análises e publicações", e apresentam reflexões sobre propostas e usos de tecnolgias informacionais com enfoque nas práticas do pequeno produtor.

O download do arquivo com Anais eletrônicos pode ser realizado através do site oficial do evento.

Os trabalhos selecionados para a Revista Eletronônica Competências Digitais para Agricultura Familiar (ReCoDAF), que também foram apresentados no evento, podem ser acessados no site oficial do periódico através do link: http://codaf.tupa.unesp.br:8082/

 

Acessórios como pulseiras e colares auxiliam no monitoramento de rebanho leiteiro.

Uma propriedade em Minas Gerais tem realizado o monitoramento de seu rebanho leiteiro por meio de colares e pulseiras.
A tecnologia foi desenvolvida na Holanda e conta com um sistema que monitora o movimento dos animais, por meio de acessórios como pulseiras e colares, que identificam e previnem problemas de saúde.

Os acessórios começaram a ser utilizados na fazenda em Minas Gerais visando monitorar as ações dos animais em tempo real, transmitindo as informações diretamente ao tablete, ou qualquer outro aparelho tecnológico que possuir. É possível  perceber que algo de errado está acontecendo com os cascos das vacas quando as mesmas diminuem os passos, sendo detectado pelas pulseiras.

Uma das utilidades do colar, é saber quando as vacas estão no cio, as mesmas começam a fazer movimentos com a cabeça, isto quer dizer  que está a procura de um touro, entre vários outros indícios das atividades das vacas que podem servir com um  grande auxílio para os produtores diagnosticarem problemas ou tomarem medidas antecipadas para a melhora da produção.

Cada equipamento custa em torno de 1,5 mil reais por animal, estando incluso os acessórios necessários para sua utilização, o mesmo poderá durar  em média dez anos.  O investimento realmente vale a pena, pois o produtor passa a ter um controle  muito maior do seu rebanho leiteiro.

Fonte: http://www.canalrural.com.br/noticias/jornal-da-pecuaria/colar-pulseira-vacas-leiteiras-ajudam-identificar-cio-melhorar-manejo-64812

Revisado por Elaine Parra Affonso

Secretaria especial da Agricultura Familiar do governo do Brasil na rede social Twitter

A rede social Twitter é uma plataforma web que presta o serviço de microblogging, a qual até o mês de setembro de 2016 tinha, segundo o web site statista.com, 317 milhões de usuários.  A Secretaria Especial da Agricultura Familiar do Ministério de Desenvolvimento Agrário do Brasil, encontra-se participando do Twitter, utilizando como ferramenta tecnológica para manter a proximidade com os cidadãos.

Com o usuário Agricultura Familiar @mdagovbr, os usuários da rede Twitter podem ler os posts que a secretaria especial faz, e interagir com eles enviando mensagens. Os posts podem conter links para outros canais, nos quais os usuários podem complementar as informações que estão recebendo.

A secretaria por meio deste meio disponibiliza informações sobre empreendedorismo, procedimentos técnicos nos cultivos, safras, agricultura ecológica, temporadas dos cultivos, sanidade geral, eventos, acompanhamentos dos órgãos do governo, dias especiais dentro do desenvolvimento rural, informes de preços, e sobre todo tipo de notícias de importância para a Agricultura Familiar do país.

Acesse o Twitter: https://twitter.com/mdagovbr?lang=pr

Revisado por Elaine Parra Affonso

 

 

Financiamento de Sistema Solar de Energia através do Pronaf

Um agricultor de Santa Maria D’Oeste/PR financiou um sistema fotovoltaico para produzir energia limpa, a energia solar, que irá abastecer a casa da família, o estábulo e câmara de resfriamento.

O sistema foi financiado por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) utilizando a linha Mais Alimentos. O investimento teve um valor alto, mas calcula-se que em 12 anos todo o investimento será recuperado, tendo em vista que na propriedade de 14 hectares do agricultor o valor gasto com energia é de aproximadamente R$400,00 e o financiamento realizado para instalação do sistema fotovoltaico foi de 23 mil reais que será pago em seis anos.

O funcionamento de um sistema fotovoltaico é bem simples, o raio solar incide nos painéis fotovoltaicos que por sua vez produzem eletricidade, porém a energia gerada por esses painéis é diferente da energia fornecida pela concessionária, é necessário instalar um equipamento chamado de inversor, que converte a energia dos painéis para abastecer a casa com 127V ou 220V, dependendo do equipamento utilizado. Então com apenas com os painéis fotovoltaicos e com o inversor já é possível abastecer uma residência, porém todos os equipamentos devem ser dimensionados para suprir o consumo de energia da propriedade. Além de suprir o consumo da propriedade, a energia ainda pode ser armazenada em baterias, porém o custo do investimento é quase dobrado com opta-se por armazenar a energia.

Fonte: http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/pronaf-financia-sistema-de-energia-solar

Revisado por Silvia Cristina 

 

Produção Integrada de morango e suas Boas Práticas Agrícolas

Divulgado  pela Embrapa Meio Ambiente  em Jaguariúna/ SP, o Boletim de Pesquisa 67, que tem por finalidade compartilhar o trabalho de apoio aos produtores parceiros do Programa de Produção Integrada de Morango (PIMo) na região de Atibaia/SP.

O programa  avalia a preparação do solo, a aquisição de mudas, a condução do plantio, e se conclui com a colheita e pós- colheita. Os auditores do programa também avaliam as questões trabalhistas, legais e jurídicas, desta maneira, o produtor deve apresentar registros de todas as suas operações.

O produto deve ser embalado e etiquetado, de maneira a identificar sua procedência e comprovar que possui os requisitos necessários para obtenção do selo que apresenta.

A Produção Integrada é feita por meio de um sistema, o qual faz uso de tecnologias que permitem a aplicação de Boas Práticas Agrícolas (BPA), controlando efetivamente o processo produtivo na íntegra, com instrumentos de monitoramento dos procedimentos e rastreabilidade em todas etapas.

O projeto traz responsabilidade ao processo de  manejo, tendo como resultado alimentos seguros e com alta qualidade, produzidos dentro dos princípios, com mínima agressão ao meio ambiente.  

Revisado por Diana Vilas Boas Souto Aleixo

 

 

CoDAF disponibiliza dados sobre preço da laranja recebido pelos agricultores

O Brasil é um dos líderes mundiais na produção e exportação de vários produtos agropecuários, dentre eles está a laranja.

Com esta importância o projeto de Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF) disponibilizou em seu portal online dados sobre o preço da laranja de mesa recebido pelos agricultores no período entre Janeiro de 2011 à Janeiro de 2016.

Com base no Instituto de Economia Agrícola de São Paulo, a autora Viviane Perroni, mostra por meio de gráfico, disponível no link http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados/977-dados-sobre-preco-recebido-pelos-agricultores-laranja,  o valor médio do preço da laranja, com peso medido em caixa de 40,8kg, de 4 em 4 meses dentre os períodos citados.
O CoDAF também oferece outras fontes de dados por meio de seu site, disponível em: http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados

Revisado por Elaine Parra Affonso

 

 

A democratização da agricultura digital

O mercado de startups tem observado um crescimento no número de aplicativos relacionados a agricultura aqui no Brasil.

Dados da Associação Brasileira de Startups (ABStartups) demonstram que hoje operam 70 empresas voltadas à agricultura digital, este número representa um aumento de 70% em relação ao ano passado e estimativas apontam que no próximo ano o número deve triplicar.

Apesar de alguns especialistas apontarem que ainda existe uma insegurança por parte do produtor rural em fazer uso destas ferramentas, as empresas do setor estão investindo pesado. Bernhard Kiep, especialista em agricultura digital, da Pessl Instruments, chama a atenção para o fato que todo este movimento pode sofrer uma reviravolta. Para o especialista, as empresas podem quebrar tal como ocorreu no período de 2000 a 2001, sobrevivendo apenas as empresas que de fato oferecerem soluções viáveis ao agricultor.

O especialista comenta que a agricultura digital precisa ser democratizada, assim, todos poderão fazer uso dos dados de maneira a possibilitar soluções mais precisas e positivas ao produtor. 

Fonte: http://www.infomoney.com.br/mercados/agro/noticia/5873608/estamos-perto-estouro-bolha-agricultura-digital-diz-especialista

Revisado por Elaine Parra Affonso

 

 

 

Selo da Agricultura Familiar chega a 1.500 liberações

No próximo dia 6 de Dezembro será entregue o 1500º Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar, o SIPAF, que é um dos principais meios de valorização e reconhecimento de quem vive da agricultura familiar. Neste ano de 2016 já foram emitidos 300 selos, que é um recorde comparado com anos anteriores, levando em consideração que o programa está ativo desde de 2009.

Segundo Rodrigo Venturin, coordenador Geral de Diversidade Econômica, Apoio a Agroindústria e Apoio à Comercialização (CGDEA), da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), essa marca de 1500 selos ativos é de extrema importância, pois com isso, mais de 138 mil agricultores já foram beneficiados diretamente, com aproximadamente 17.495 produtos identificados com o selo no Brasil.

Essa marca, ou selo, fortalece todo o mercado de alimentos da agricultura familiar, favorecendo o crescimento e disponibilização dos produtos produzidos pelos agricultores, bem como o reconhecimento dessa produção pela sociedade. Rodrigo ainda ressalta que o Brasil foi o primeiro país a criar o selo de identificação, e após isso outros países também adotaram essa prática, como Argentina e Chile por exemplo.

O selo de identificação pode ser obtido por agricultores que já possuem a DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf) ou, aos que não possuem a DAP, deve ser comprovado que mais de 50% dos gastos em matéria-prima do produto final são da agricultura familiar. Mais informações sobre o SIPAF pode ser encontrado no link: http://www.mda.gov.br/sitemda/secretaria/saf-sipaf/selo-de-identifica%C3%A7%C3%A3o-da-participa%C3%A7%C3%A3o-da-agricultura-familiar-sipaf

selo agric familiar

Fonte: http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/selo-da-agricultura-familiar-chega-1500-permission%C3%A1rios

Revisado por Silvia Cristina Vieira