Main menu

Fonte de Dados Relaciona Preços Nacionais do Café

Indiscutivelmente, o café é um grão que tem significativa importância para o Brasil, ao ponto de se tornar cultural, impactando a economia do país. Com isto em mente, se faz relevante um acompanhamento contínuo do seu preço.

Desta forma, a Fonte de Dados intitulada “Preço do Café”, disponibilizada pela CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento), busca reunir os preços do café, em nível nacional, para análise.

A Fonte de Dados reúne informações como o Produto/Unidade, o nível de comercialização do grão, o Estado ao qual ele pertence, e a data composta por todos os dias e meses do período composto. Por meio destes dados podem ser gerados gráficos, a fim de visualizar os dados de maneira mais dinâmica e possibilitando a comparação do variável preço com estado por região em diferentes modos de compra e, o preço do produto em questão na região de São Paulo.

Compreendendo a importância do acesso a dados, o Portal do projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF) disponibiliza aos pequenos agricultores e interessados, fontes de dados que atendem a temas que podem auxiliar no desempenho da atividade agrícola, disponíveis por meio do endereço: http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados.

A Fonte de Dados “Preço do Café” está disponível para acesso no endereço: http://sisdep.conab.gov.br/precosiagroweb/

Para mais informações acerca da CONAB, acesse: http://www.conab.gov.br/

 

Dados sobre a safra de cana-de-açúcar no Brasil

A produção da cana de açúcar total do Brasil (em mil toneladas) apresenta uma significativa alta em sua safra, passando de 25 mil toneladas em 2005/2006 para uma previsão de aproximadamente 40 mil toneladas para os anos de 2017/2018 e, de acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), o Sudeste representa, aproximadamente, metade da produção nacional de Açúcar seguido pelo Nordeste.

Diante desta perspectiva açucareira no cenário brasileiro, a CONAB disponibiliza dados sobre séries históricas de área plantada, produtividade e produção, relativas às safras, 2005/2006 à 2016/2017 de cana-de- açúcar total do Brasil, como também de cada região do País. Essa base de dados garante ao produtor disponibilização de dados econômicos levantados por instituições de referências, a fim de facilitar tomadas de decisões para a competitividade de mercado.

Os dados disponibilizados estão dispostos em ano, produção, regiões das unidades federativa do Brasil, o período que corresponde a cada safra e informações referentes às mesmas. Com isso, é possível estimar o comportamento da produção açucareira, de acordo com os anos e, assim, realizar gestão da propriedade produtora de açúcar .

De acordo com a necessidade do produtor buscar dados referentes ao mercado de seu produto, como a situação apresentada, o portal CoDAF disponibiliza fontes de dados para agricultura, com exemplificações de suas aplicabilidades. Para conferir outras fontes de dados do portalacesse:http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados.

Para maiores informações sobre a fonte de dados acesse: http://www.conab.gov.br/conteudos.php?a=1252&t=2&Pagina_objcmsconteudos=2#A_objcmsconteudosa_objcmsconteudos=2#A_objcmsconteudos

Mais informações sobre a Companhia Nacional de Abastecimento acesse: http://www.conab.gov.br/index.php.

 

Dados sobre Safra de Trigo é tema de Fonte de Dados

O Brasil vem cada vez mais ganhando notabilidade na produção de grãos, com destaque para o trigo que atingiu 6475841 de toneladas em 2016, conforme dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatítica, 2017).

Nesta direção, a Fonte de Dados "Conjunto de dados sobre a Safra de Trigo", relaciona dados obtidos junto à CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento), disponível no Portal Codaf.

A Fonte de Dados, descreve o processo de navegação no site da CONAB para obtenção dos dados, traz informações sobre os dados disponibilizados, tais como região, ano da safra, entre outras. E demonstra por meio de gráficos a evolução histórica relativa a produtividade do trido e sua previsão de produçao para o ano de 2017.

Atendendo ao propósito de possibilitar o acesso a esses dados, o Portal CoDAF apresenta fonte de dados que relacionam temas que podem auxiliar no exercício de suas atividades, acessíveis através do endereço:http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados/1050-conjunto-de-dados-sobre-a-safra-do-trigo

Informações sobre os dados relativos à CONAB podem ser obtidos no endereço: http://www.conab.gov.br/

Indicadores do IBGE disponíveis no endereço:ftp://ftp.ibge.gov.br/Producao_Agricola/Fasciculo_Indicadores_IBGE/estProdAgr_201702.pdf

5º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT)

O 5º CEDIT aconteceu no sábado, 07 de outubro, no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã, onde foram apresentadas três palestras que abordaram temáticas envolvidas com tecnologias informacionais, agricultura e coleta de dados.

A primeira palestra, intitulada "Agricultura 4.0 – a produção digital e o novo modelo de negócio agrícola", foi ministrada pelo prof. Fabiano Neves (JACTO e FACCAT), e teve como objetivo apresentar aspectos envolvidos no novo paradigma da agricultura,  como a automação e o meio digital, levantando questões de como serão os impactos para os grandes e os pequenos produtores no acesso e uso de dados. Link da apresentação.

O prof. Fernando Rodrigues (UNESP) apresentou a palestra intitulada "Aplicações da Teoria dos Grafos em coletas de dados", que abordou a utilização de um modelo matemático baseado na representação de dados e suas relações, demonstrando como este pode ser aplicado para sistematizar processos de coleta de dados em redes sociais. Link da apresentação.

A palestra de encerramento foi apresentada pela profa. Silvia Vieira (UNIFAI), intitulada "Semeando saberes e inspirando soluções: Dimensões informacionais interdisciplinares na Agricultura Familiar", e trouxe reflexões sobre os caminhos a serem seguidos nas relações entre instituições e organizações privadas junto ao pequenos produtor rural, no que tange o desenvolvimento de pesquisas, soluções tecnológicas e serviços extensionistas. Link da apresentação. 

 

5º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT)

O 5º CEDIT aconteceu no sábado, 07 de outubro, no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã, onde foram apresentadas três palestras que abordaram temáticas envolvidas com tecnologias informacionais, agricultura e coleta de dados.

A primeira palestra, intitulada "Agricultura 4.0 – a produção digital e o novo modelo de negócio agrícola", foi ministrada pelo prof. Fabiano Neves (JACTO e FACCAT), e teve como objetivo apresentar aspectos envolvidos no novo paradigma da agricultura,  como a automação e o meio digital, levantando questões de como serão os impactos para os grandes e os pequenos produtores no acesso e uso de dados. Link da apresentação.

O prof. Fernando Rodrigues (UNESP) apresentou a palestra intitulada "Aplicações da Teoria dos Grafos em coletas de dados", que abordou a utilização de um modelo matemático baseado na representação de dados e suas relações, demonstrando como este pode ser aplicado para sistematizar processos de coleta de dados em redes sociais. Link da apresentação.

A palestra de encerramento foi apresentada pela profa. Silvia Vieira (UNIFAI), intitulada "Semeando saberes e inspirando soluções: Dimensões informacionais interdisciplinares na Agricultura Familiar", e trouxe reflexões sobre os caminhos a serem seguidos nas relações entre instituições e organizações privadas junto ao pequenos produtor rural, no que tange o desenvolvimento de pesquisas, soluções tecnológicas e serviços extensionistas. Link da apresentação. 

 

5º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT)

O 5º CEDIT aconteceu no sábado, 07 de outubro, no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã, onde foram apresentadas três palestras que abordaram temáticas envolvidas com tecnologias informacionais, agricultura e coleta de dados.

A primeira palestra, intitulada "Agricultura 4.0 – a produção digital e o novo modelo de negócio agrícola", foi ministrada pelo prof. Fabiano Neves (JACTO e FACCAT), e teve como objetivo apresentar aspectos envolvidos no novo paradigma da agricultura,  como a automação e o meio digital, levantando questões de como serão os impactos para os grandes e os pequenos produtores no acesso e uso de dados. Link da apresentação.

O prof. Fernando Rodrigues (UNESP) apresentou a palestra intitulada "Aplicações da Teoria dos Grafos em coletas de dados", que abordou a utilização de um modelo matemático baseado na representação de dados e suas relações, demonstrando como este pode ser aplicado para sistematizar processos de coleta de dados em redes sociais. Link da apresentação.

A palestra de encerramento foi apresentada pela profa. Silvia Vieira (UNIFAI), intitulada "Semeando saberes e inspirando soluções: Dimensões informacionais interdisciplinares na Agricultura Familiar", e trouxe reflexões sobre os caminhos a serem seguidos nas relações entre instituições e organizações privadas junto ao pequenos produtor rural, no que tange o desenvolvimento de pesquisas, soluções tecnológicas e serviços extensionistas. Link da apresentação. 

 

Parceria entre a escola ETEC de Novo Horizonte - SP e o projeto CoDAF da UNESP de Tupã – SP

Desde o segundo semestre de 2016, iniciou-se uma parceria entre a Escola Técnica Estadual - ETEC, Professora Marinês Teodoro de Freitas Almeida, situada no município de Novo Horizonte - SP, e a UNESP Campus de Tupã. A proposta, apresentada pelo professor Ricardo Costa Rossi, tem o intuito de articular ambas as instituições, contribuindo assim na formação integral dos alunos da ETEC, e ao mesmo tempo participando ativamente no projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar - CoDAF, da UNESP de Tupã.

O grupo de trabalho da ETEC Novo Horizonte está conformado pelo professor Ricardo Costa Rossi, junto aos alunos Vitoria Heloisa Venancio de Oliveira, Mailson Moreira Alves e Gabriel Moises de Camargo, quem cursam o programa Técnico em Informática, e, Técnico em Meio Ambiente, ambos integrados ao
ensino médio. Observou-se que esses grupos têm a possibilidade de trabalhar conjuntamente desenvolvendo estudos da área das TIC para a agricultura familiar.

O CoDAF tem como objetivo proporcionar alternativas para minimizar os fatores que dificultam o acesso à informação por parte de agricultores familiares, como por exemplo, a baixa familiaridade com as tecnologias da informação e a comunicação, e a escassez de sistemas de informação específicos para este público, tendo grupos de pesquisas focados em diversos temas de estudos, tais como ferramentas tecnológicas, desenvolvimento de competências, políticas públicas, etc.

Como resultados desta parceria, tem-se realizado pesquisas em temas dentro do âmbito da agricultura e o desenvolvimento rural, focando esforços recentes
na divulgação de resultados no IV Evento do CoDAF, que acontecerá em novembro de 2017. Segundo o professor Ricardo Costa Rossi, a parceria tem trazido benefícios no processo formativo dos alunos da ETEC, impulsionando-os no aprimoramento das suas habilidades, focando em um grupo de alto impacto como é a agricultura familiar, gerando novas vertentes de estudos para o projeto CoDAF.

Revisado por: Jacquelin Camperos Reyes

Fonte de dados sobre preço médio da dúzia de ovos - Cepea

Com a finalidade de obter maiores informações para atender a demanda da população, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) elabora planilhas com dados colhidos semanalmente relacionados ao preço médio da dúzia de ovos na Grande Belo Horizonte (MG), Grande São Paulo (SP) e no Rio de Janeiro (RJ).

Nesse cenário, o projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF) disponibiliza no seu portal, descrição da fonte de dados sobre o médio da dúzia de ovos elaborado pela Cepea. Por meio dessa fonte, é possível observar que os preços não oscilam bruscamente, além disso, os valores comparados entre as regiões acompanham um mesmo padrão, ou seja, apesar de lugares e momentos distintos, o preço da dúzia deovos costuma acompanhar o mesmo ritmo.

Para mais informações sobre a fonte de dados acesse: http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados/1049- dados-sobre-o-indicador-de-ovos-cepea- produto-posto.indicador-de-ovos-cepea- produto-posto.

Caso queira saber um pouco mais sobre as coletas do Cepea, acesse: http://www.cepea.esalq.usp.br/.

E para ter acesso a mais fontes de dados elaboradas pelo CoDAF, basta entrar em: http://codaf.tupa.unesp.br/

Revisado por: Elaine Parra Affonso 

 

5º CEDIT acontece no dia 07 de outubro

 v cedit

O 5º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT) acontecerá no dia 07 de outubro de 2017, às 14 horas, no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã.
Nesta edição, o evento abordará questões envolvendo o uso das tecnologias da informação e comunicação no âmbito rural, e também terá enfoque em temas específicos da coleta de dados. As apresentações serão ministradas por pós-graduandos e professores de áreas correlatas a Ciência da Informação, Administração, Agricultura, Veterinária e Tecnologia da Informação.

A programação para o 5º CEDIT contará com apresentações de 15 minutos, como mostra o cronograma a seguir:
14:00 Recepção e Inscrição
14:20 “Agricultura 4.0 – a produção digital e o novo modelo de negócio agrícola” - Fabiano Neves (Jacto S/A)
14:35 “Aplicações da Teoria dos Grafos em coletas de dados” - Prof. Dr. Fernando de Assis Rodrigues (UNESP/Marília)

14:50 “Semeando saberes e inspirando soluções: Dimensões informacionais interdisciplinares na Agricultura Familiar - Profa. Me. Silvia Vieira (UNIFAI)

15:05 “Espaço rural e espaço urbano: pluralidade conceitual e as tecnologias de informação e comunicação” - Juliana Bernardes (UNESP/Tupã)
15:20 Perguntas e discussões
16:00 Encerramento

As inscrições podem ser realizadas pelo endereço eletrônico: http://bit.ly/eventoinscricao

Palestra sobre Dispositivos Móveis na Agricultura é ministrada no 3º CEDIT

A palestra "Dispositivos Móveis na Agricultura" - ministrada por Victor Ubiracy Borba, trouxe opções de dispositivos móveis na agricultura, evidenciando opções de aplicativos para ser utilizado nas práticas agrícolas, no 3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT) organizado pelo Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF), no dia 08 de Julho de 2017 no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã.

A palestra está disponível em nosso canal no Youtube (http://bit.ly/2wS5j9p) através do link: http://bit.ly/2eXPrzf.

Em breve, o CoDAF disponibilizará outros vídeos referentes as palestras oferecidas nas próximas edições do CEDIT, inscreva-se em nosso canal e acompanhe as novidades.

Palestra sobre Tecnologias de Gestão para Agricultores Familiares foi ministrada no 3° CEDIT

A palestra "Tecnologias de Gestão para Agricultores Familiares: Modelagem de negócios com Design Thinking e Canvas " - ministrada pela Professora Renata Pinheiro , apresentou uma proposta de oficina para trabalhar práticas de gestão em propriedades rurais de pequeno porte com o uso de recursos informacionais no 3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT) organizado pelo Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF), no dia 08 de Julho de 2017 no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã.

A palestra está disponível em nosso canal no Youtube (http://bit.ly/2wS5j9p) através do link: http://bit.ly/2vZbmx9 .

Em breve, o CoDAF disponibilizará outros vídeos referentes as palestras oferecidas no 3º CEDIT, inscreva-se em nosso canal e acompanhe as novidades.

IV CICLO DE ESTUDOS DADOS, INFORMAÇÃO E TECNOLOGIA (CEDIT)

O IV Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT) aconteceu no último sábado, 02 de setembro, no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã. Nesta ocasião foram apresentadas quatro palestras: a primeira palestra intitulada “Fontes de informação na produção cientifica”, foi ministrada pela prof. Ma. Diana Vilas Boas Souto Aleixo, doutoranda em Ciência da Informação pela UNESP de Marília. A palestra teve como objetivo auxiliar os pesquisadores na definição de procedimentos metodológicos, trazendo definições de fontes de dados primárias e secundárias, e, apresentando exemplificações no âmbito tanto do Brasil quanto internacional. Fez um percorrido a partir de fontes de dados definidas segundo pesquisas diversas, durante o desenvolvimento das atividades científicas.

A prof. Ma. Daiane Marcela Piccolo, vinculada à FATEC de Presidente Prudente apresentou a palestra “Gerenciamento de projetos e o papel das tecnologias informacionais”, contextualizando dentro da esfera de projetos, com definições da área e utilizando o guia PMBOK, que abrange um conjunto de ferramentas para apoiar o gerenciamento de projetos. A palestrante apresentou a versatilidade do guia indicando os tipos e tamanhos dos projetos nos quais poderia ser utilizado, e ilustrou o uso o desenvolvimento de uma parte de um projeto de Cultivo de Alface.

A terceira apresentação se intitulou “MIT APP Inventor como instrumento de coleta de dados” exposta pelo prof. Ricardo Costa Rossi, vinculado à ETEC de Novo Horizonte. O palestrante realizou uma descrição desta ferramenta de desenvolvimento de software para aplicativos móveis, indicando como, de um modo  simples, esta pode auxiliar processos de coleta de dados. Apresentou a ferramenta com as vantagens, limitações e potencialidades no uso por pequenas organizações.

A palestra de encerramento foi ministrada pelo doutorando em Ciência da Informação, prof. Me. Fábio Mosso Moreira: “Necessidades informacionais de Pequenos Produtores Rurais e Fontes de Dados Online”. O palestrante contextualizou o agronegócio brasileiro e sua representatividade na economia nacional, passando pelos processos de gestão em propriedades rurais mediante práticas administrativas mas focando as pequenas propriedades, dando ênfase nas necessidades informacionais que têm sido pesquisadas por cientistas de vários países do mundo. Essas necessidades informacionais foram apresentadas mediante uma categorização, quantificando os estudos encontrados em cada uma das categorias identificadas pelo palestrante.

Revisado por: Diana Vilas Boas Souto Aleixo

Fonte de Dados relaciona os Rebanhos Bovinos no Brasil

As atividades relacionadas à pecuária bovina de corte, uma das mais importantes do agronegócio nacional, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA, 2016), em 2015 representou 6,82% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Como consequência deste cenário, a Embrapa disponibiliza dados referentes ao setor, os quais serviram de base para a formulação a Fonte de Dados “Conjunto de Dados sobre Rebanhos Bovinos Brasileiros”, disponibilizada no Portal CoDAF.

Esta fonte de dados, traz gráficos que comparam os números entre as regiões no período de 2006 a 2015 e entre os estados do sudeste do Brasil.

Tendo a compreensão da necessidade de trazer possibilidades de acesso à esses dados, o Portal CoDAF disponibiliza aos pequenos agricultores fontes de dados que relacionam temas que podem auxiliar no desempenho de suas atividades, disponíveis por meio do endereço: http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados.

Informações sobre os dados relativas a Embrapa podem ser obtidas no endereço: https://bi.sede.embrapa.br/BOE/BI/custom.jsp?i=15096913&u=boetrusted

Mais informações sobre o PIB do agronegócio brasileiro acesse: http://www.cepea.esalq.usp.br/br/pib-do-agronegocio-brasileiro.aspx

Participação do CoDAF no VII Seminário em Ciência da Informação (UEL)

No período de 21 a 23 de agosto, realizou-se na Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina  - PR, o VII Seminário em Ciência da Informação (SECIN), com o tema "Linkando informação, culturas e comunidades: reflexões teórico-práticas."
 
O evento teve palestras de pesquisadores como Dr. Miguel Ángel Rendón Rojas (UNAM), Dra. Amanda Leal Olievira (USP), Dr. Marco Antônio de Almeida (USP), Dra. Henriette Ferreira Gomes (UFBA), e os debates promoveram discussões em torno da informação e sua relação com o desenvolvimento do ser humano; a (re)signação da informação nas culturas e comunidades; e a mediação da informação e o protagonismo social.
 
Integrantes do projeto CoDAF estiveram presentes no evento, por meio da participação e apresentação de trabalhos resultantes das pesquisas desenvolvidas pelo grupo, como: "Necessidades informacionais de pequenos produtores rurais" (Fábio Mosso Moreira); "A produção científica sobre representação de dados dentro da área temática da agricultura" (Jacqueline Teresa Camperos Reyes); "Agricultura Familiar e Políticas Públicas: Análise da fase de recuperação sobre o PRONAF no estado de São Paulo" (Victor Ubiracy Borba); e "Resource Description Framework (RDF): O impacto nas publicações na Ciência da Informação (Diana Vilas Boas Souto Aleixo).
 
Os trabalhos publicados podem ser acessados via anais do evento (http://www.uel.br/eventos/cinf/index.php/secin2017/secin2107/schedConf/presentations).
 
Durante o evento, foi realizada a divulgação do Projeto CoDAF e do IV Encontro Competências Digitais para Agricultura Familiar (e-CoDAF). O projeto CoDAF parabeniza a Comissão Organizadora do VII SECIN e agradece o espaço disponibilizado para a divulgação dos trabalhos do CoDAF no evento.

Conjunto de dados sobre o Preço Médio Mensal do Leite Cru Refrigerado recebido pelos produtores

A produção de leite apresenta-se com alta expressão no agronegócio brasileiro. De acordo com Balde branco 99% dos municípios brasileiros apresentam atividade leiteira, em que a cadeia produtiva do leite abrange cerca de 2 mil empresas lácteas, indicando sua importância na balança comercial do país.
Diante essa representatividade leiteira brasileira, o Instituto de Economia Agrícola (IEA) disponibiliza dados sobre preços médios mensais, recebidos pelos produtores, de leite cru refrigerado. Essa base de dados garante ao produtor disponibilização de dados econômicos levantados por instituições de referências, a fim de facilitar tomadas de decisões para a competitividade de mercado.

Os dados disponibilizados estão dispostos em produtos, preços médios, ano, moeda e preço referentes. Com os mesmos é possível estimar o comportamento do preço do produto leite cru refrigerado, de acordo com os meses do ano e, assim, realizar gestão da propriedade leiteira.
De acordo com a necessidade do produtor buscar dados referentes ao mercado de seu produto, como situação apresentada, o portal CoDAF disponibiliza fontes de dados para agricultura, com exemplificações de suas aplicabilidades. Para conferir outras fontes de dados do portal, acesse:http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados.

Para maiores informações sobre a fonte de dados, acesse: http://www.iea.sp.gov.br/out/bancodedados.html
Mais informações sobre Instituto de Economia Agrícola: http://www.iea.agricultura.sp.gov.br/out/index.php

Revisado por: Elizabete Cristina de Souza de Aguiar Monteiro

4º CEDIT acontece no dia 02 de setembro

cedit-iv

O 4º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT) acontecerá no dia 02 de setembro de 2017, às 14 horas, no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã.

Nesta edição, o evento abordará temas como o uso de de fontes de informação para a produção científica, gestão de projetos com o uso de tecnologias informacionais, aplicativos que possibilitam a coleta de dados e necessidades informacionais de pequenos produtores rurais. As apresentações serão ministradas por pós-graduandos e professores de áreas correlatas a Ciência da Informação, Administração e Tecnologia.

A programação para o 4º CEDIT contará com apresentações de 15 minutos, como mostra o cronograma a seguir:

(14:00) Recepção e Inscrição

(14:20) "Fonte de informação na produção científica" - Prof.ª M.S. Diana V. B. Souto Aleixo

(14:40) "Gerenciamento de projetos e o papel das tecnologias informacionais" - Prof.ª M.S. Daiane Piccolo

(15:00) "MIT APP Inventor como instrumento de coleta de dados" - Prof. Ricardo Rossi

(15:20)  "Necessidades informacionais de pequenos produtores rurais e fontes de dados online". - M.S. Fabio Mosso Moreira 

(15:40) Perguntas e discussões

(16:00) Encerramento

As inscrições serão realizadas na recepção do evento.

Rendimento rural e proteção ambiental através do Projeto Rural Sustentável

Agricultores familiares, pequenos e médios produtores rurais, trabalham com uma produção agrícola que causa um menor ou nenhum impacto para o meio ambiente em comparação a cadeia produtiva principalmente voltada a produção de commodities (mercadorias “in natura”), sendo responsáveis pela produção da maioria dos alimentos consumidos nas mesas dos brasileiros com aproximadamente 33,3% da arrecadação tributária do setor agrícola ao governo (GUILHOTO et al., 2006). Os pequenos produtores rurais representam cerca de 84% dos estabelecimentos no Brasil (IBGE, 2006).

A dificuldade de acesso a recursos principalmente a dados, informações e tecnologias pelos pequenos produtores comparado a estes acessos pela cadeia produtiva desestimula a continuidade do trabalho em seu empreendimento rural pelas novas gerações, o que possibilita o aumento das grandes produções pois que sem haver a possibilidade de continuação do empreendimento familiar, cria a possibilidade de venda ou arrendamento da propriedade para grandes agentes da cadeia produtiva que trabalham com uma produção mais agressiva ao meio ambiente.

A abertura de chamada para o Projeto Rural Sustentável (PRS) é uma oportunidade de criar uma renda extra para o empreendimento rural, além de estimular a manutenção das florestas e animais silvestres e possibilitar a continuidade no campo pelas novas gerações através da capacitação gratuita para estes produtores. A Chamada de Propostas de Unidades Multiplicadoras foi lançada no dia 28 de julho de 2017 com o objetivo de melhorar as práticas de uso da terra e manejo de florestas e animais silvestres, com o incentivo financeiro às propriedades rurais de 70 municípios brasileiros localizados nas regiões com florestas e animais da Amazônia e Mata Atlântica. A ação faz parte das atividades desenvolvidas do PRS como incentivo ao uso de tecnologias de baixo carbono.

A economia de baixo carbono como instrumento de políticas públicas, se refere a um novo uso da maneira como tecnologias modernas contribuem com a preservação do meio ambiente, a partir de atitudes sustentáveis na geração de energia, e na diminuição da emissão de gases do efeito estufa, especialmente o dióxido de carbono (CO2), para que seja gerado o menor impacto possível sobre o clima da Terra, por meio de opções relacionadas à gestão em sustentabilidade.

Reduzir a emissão de carbono é vantajoso para o futuro do planeta através da criação de medidas capazes de reduzir os impactos gerados por esses gases. Países como a Austrália, a Nova Zelândia e integrantes da União Europeia são alguns dos destaques na atuação envolvendo a economia de baixo carbono.

Com esta iniciativa, propriedades de pequenos e médios produtores rurais poderão adotar tecnologias de baixo carbono indicados no projeto, como propostas que deverão ser submetidas em parceria com agentes de assistência técnica. Se forem aceitas, poderão render até R$ 1.800,00 aos produtores rurais por hectare de tecnologia implantada e até R$ 6.600,00 por unidade aos agentes.

A meta é criar 3.360 unidades multiplicadoras, cuja propriedade esteja localizada em algum dos municípios apresentados pelo Projeto, e que sejam beneficiários ou possam se beneficiar de crédito rural, que possuem regularização fundiária e ambiental de até quatro módulos fiscais pequenos e de quatro a quinze módulos fiscais médios.

O produtor rural interessado em participar deve enviar o projeto no Portal Rural Sustentável, cujo endereço do site é o www.ruralsustentavel.org. Haverá uma avaliação dos projetos inscritos pelos agentes de assistência técnica, sendo que os projetos aprovados terão o acompanhamento e implantação da tecnologia de baixo carbono. Os agentes de assistência técnica serão indicados por entidades de assistência técnica que atuam nos municípios, e com avaliação e execução da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA).

Mais informações podem ser encontradas no portal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio do link:<http://www.agricultura.gov.br/noticias/projeto-rural-sustentavel-abre-chamada-para-pequenos-e-medios-produtores-rurais>.

Noticia elaborada por: Marta Pagán Martínez; Fernando de Assis Rodrigues; Renata Pinheiro; Pedro Henrique Santos Bisi.

REFERÊNCIAS

A importância da Agricultura Familiar. Disponível em: <http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/a-importancia-da-agricultura-familiar>. Acesso em: 12 ago. 2017.

Atitudes Sustentáveis. Saiba mais sobre a economia de baixo carbono. Disponível em: <http://www.atitudessustentaveis.com.br/noticias/saiba-sobre-economia-baixo-carbono/>. Acesso em: 11ago. 2017.

CAMACHO, Rodrigo Simão. O Agronegócio Latifundiário versus a agricultura camponesa: a luta política e pedagógica do campesinado. XIX ENGA: Encontro Nacional de Geografia Agrária, São Paulo, 2009. Disponível em:<http://www.geografia.fflch.usp.br/inferior/laboratorios/agraria/Anais%20XIXENGA/artigos/Camacho_RS.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2017.

Censo Agropecuário 2006. Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/51/agro_2006.pdf>. Acesso em: 13 ago. 2017.

Guia de Elaboração de Pequenos Projetos Socioambientais para Organizações de Base Comunitária. Projeto Rural Sustentável. Disponível em: <http://ispn.org.br/capta/oportunidades/projeto-rural-sustentavel/>. Acesso em: 11 ago. 2017.

GUILHOTO, J. J. M. et al. A importância do agronegócio familiar no Brasil. Revista de Economia eSociologia Rural, v. 44, n. 3, set. 2006.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Projeto Rural Sustentável abre chamada para pequenos e médios produtores rurais. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/noticias/projeto-rural-sustentavel-abre-chamada-para-pequenos-e-medios-produtores-rurais>. Acesso em: 09 ago. 2017.

Portal Brasil. Meio Ambiente: Projeto Opções vai apresentar tecnologia de baixo carbono a setores econômicos. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/ciencia-e-tecnologia/2016/12/projeto-opcoes-vai-apresentar-tecnologia-de-baixo-carbono-a-setores-economicos>. Acesso em: 10 ago. 2017.

Projeto Rural Sustentável. Recuperação de terras degradadas da Amazônia e Mata Atlântica. Disponível em: <http://www.bb.com.br/pbb/pagina-inicial/agronegocios/agronegocio---produtos-e-servicos/agronegocio-sustentavel/projeto-rural-sustentavel#/>. Acesso em: 10 ago. 2017.

Rural Sustentável. Janela do Conhecimento. PRS lança chamada de unidades multiplicadoras de tecnologias de baixo carbono. Disponível em: <http://www.ruralsustentavel.org/sobre/>. Acesso em: 12 ago. 2017.

SENAR Bahia. Assistência Técnica e Gerencial: Projeto Rural Sustentável. Disponível em: <http://www.sistemafaeb.org.br/senar/projeto-rural-sustentavel/>. Acesso em: 11 ago. 2017.

TOLEDO, Virginia. Por falta de jovens, produtores rurais temem futuro da agricultura familiar. Ausência de políticas públicas eficientes, faz juventude do campo optar pela cidade, apesar de avanços conquistados por recentes programas federais. Disponível em: <http://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2011/09/por-falta-de-jovens-produtores-rurais-temem-futuro-da-agricultura-familiar>. Acesso em: 13 ago. 2017.

Palestra sobre Tecnologias de Visualização de Dados foi ministrada no 3º CEDIT

A palestra "Tecnologias de Visualização de Dados " - ministrada por Leonardo Felipe Franchi , demonstrou aspectos relacionados com a utilização de recursos Web para construção de visualizações de dados, no 3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT) organizado pelo Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF), no dia 08 de Julho de 2017 no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã.

A palestra está disponível em nosso canal no Youtube (http://bit.ly/2wS5j9p) através do link: http://bit.ly/2xcJFNt .

Em breve, o CoDAF disponibilizará outros vídeos referentes as palestras oferecidas no 3º CEDIT, inscreva-se em nosso canal e acompanhe as novidades.

Conjunto de Dados sobre Exportação do Café Brasileiro

Atualmente, o Brasil é considerado o maior exportador de café do mundo, atividade que contribui de maneira considerável no comércio do país.

Com a missão de representar e promover o desenvolvimento do setor exportador de café, tanto em âmbito nacional quanto internacional, o CECAFE, Conselho dos Exportadores de Café do Brasil, originou-se da fusão de duas entidades representativas do setor: Associação Brasileira dos Exportadores de Café (ABACAFÉ) e da Federação Brasileira dos Exportadores de Café (FEBEC).

Segundo o CECAFE, o café, em sua maioria, é exportado pelo Brasil na forma de commodity, sem que haja beneficiamento do produto. Ciente disto e da importância de uma aproximação do pequeno produtor com informações úteis do setor, o projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF) disponibiliza em seu portal uma apresentação e descrição da fonte de dados acerca da exportação do café brasileiro.

Para maiores informações sobre a fonte de dados, acesse:http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados/1036-conjunto-de-dados-sobre-exportacao-do-cafe-brasileiro

Mais informações sobre o CECAFE disponíveis em: http://www.cecafe.com.br/

O projeto CoDAF também disponibiliza outras fontes de dados, para conferir acesse: http://codaf.tupa.unesp.br/

Revisado por: Elaine Parra Affonso 

Palestra sobre Propriedade intelectual no contexto acadêmico e profissional foi ministrada no 3º CEDIT

O 3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (III CEDIT), ocorrido no dia 08 de julho de 2017, apresentou, em uma das palestras, a importância das patentes e dos registros de obras como forma de preservar e referenciar os direitos dos autores pelas suas criações intelectuais, ministrada pela Profa. Ms. Elizabete Monteiro (UNESP/Marília).

A palestra está disponível em nosso canal no Youtube (http://bit.ly/2wS5j9p) através do link: http://bit.ly/2vY0QG4 .

Em breve, o CoDAF disponibilizará outros vídeos referentes as palestras oferecidas no 3º CEDIT, inscreva-se em nosso canal e acompanhe as novidades.

 

Dados Sobre a Cultura do Milho a Partir da CONAB

Segundo a Associação brasileira dos produtores de milho, o Brasil encontra-se hoje na segunda posição dos países exportadores de milho em nível mundial.

A Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), associada ao Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), com alcance nacional no relacionado à gestão agrícola, auxilia todo o ciclo de produção desde o início da lavoura até a chegada ao consumidor final.

O projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF) ciente da importância de um canal de aproximação entre as fontes de dados referentes a cultura do milho disponibilizadas na internet e os usuários, disponibilizou a fonte de dados "Séries históricas da área plantada e produtividade do milho no centro-oeste brasileiro nas primeiras e segundas safras desde 1976/1977 até 2015/2016", que tem como objetivo aproximar os usuários da possibilidade de tomar suas decisões a partir de dados sobre a cultura do milho, dados com qualidade, gerados na CONAB.

A fonte de dados traz informações a respeito das funções da Conab. Em sua estrutura aborda a descrição de dados históricos, de maneira a descrever valores relativos às quantidades de milho plantadas e a produtividade dessas áreas.

Para melhor informar os leitores, a fonte de dados faz uso de exemplos gráficos e interpretações dos dados obtidos.

Para acessar a fonte, e obter informações relacionadas às instituições citadas acessem os links:

Fonte de Dados: http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados/1032-series-historicas-da-area-plantada-e-produtividade-do-milho-no-centro-oeste-brasileiro-nas-primeiras-e-segundas-safras-desde-1976-e-1977-ate-2015-2016

Associação brasileira dos produtores de milho: http://www.abramilho.org.br/panorama-milho-e-perspectivas-para-safra-20162017-thome-guth-conab/

Sobre a CONAB: http://www.conab.gov.br/conab-quemSomos.php?a=11&t=1

Revisado por Diana Vilas Boas Souto Aleixo

Vestibular para o curso de Licenciatura em Educação do Campo está com inscrições abertas

A Universidade de Brasília (UnB) está com inscrições abertas para o curso de Licenciatura em Educação do Campo.

O vestibular é destinado à população do campo, pessoas que tenham concluído o ensino médio ou estejam em fase final de conclusão e que não tenham formação em nível superior. Segundo a UnB, o objetivo do curso é formar e habilitar profissionais na educação fundamental e média que atuam como professores ou outras atividades educativas junto às populações do campo.

A inscrição só poderá ser feita pela internet e, para realizá-la, é imprescindível o número de Cadastro de Pessoa Física (CPF) do candidato.
As inscrições para o vestibular são gratuitas e podem ser feitas até 31 de agosto de 2017 pelo site: http://www.cespe.unb.br/vestibular/VESTDIST_18_1_EDUCAMPO/.

As 140 vagas oferecidas pela UnB serão divididas entre o primeiro e o segundo semestres de 2018. O vestibular contará com sistema de cotas para diversas categorias: estudantes oriundos de escolas públicas, renda familiar inferior a 1,5 salários mínimos, candidatos que se autodeclararam negros, pardos ou indígenas e candidatos com deficiência.

O curso de Licenciatura em Educação do Campo é feito no sistema de alternância, sendo dividido em Tempo Escola e Tempo Comunidade. Dessa forma é possível que o aluno estude sem abandonar seus territórios. Segundo a Universidade de Brasília, "Um dos objetivos da proposta pedagógica é manter os alunos no meio em que vivem, mesmo durante a graduação. Por isso, desde o primeiro semestre, os estudantes alternam o aprendizado no campo com a prática na zona rural. No chamado Tempo-Escola, há aulas por até 55 dias, com preparação do material que será utilizado na comunidade. Depois, no Tempo-Comunidade, os alunos partilham o saber com a comunidade de origem, e aplicam os conhecimentos adquiridos na UnB".

Mais informações, acesse o edital: http://www.cespe.unb.br/vestibular/VESTDIST_18_1_EDUCAMPO/arquivos/ED_1_2017_VEST_CAMPO_ABT.PDF


Fontes:
http://unb2.unb.br/aluno_de_graduacao/cursos/educacao_do_campo
http://fup.unb.br/educacao-do-campo/
http://www.cespe.unb.br/vestibular/VESTDIST_18_1_EDUCAMPO/

CoDAF disponibiliza descrição de fonte de dados sobre série histórica da produção de Cana-de-Açúcar publicada pela CONAB

O Brasil é líder na produção  de Cana-de-Açucar e exportação de seus derivados como açucar e etanol, gerando milhares de empregos em toda cadeia produtiva e arrecadação para o agronegócio brasileiro.

O projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF), apresenta em seu portal uma descrição de fonte de dados sobre a série histórica da produção de Cana-deAçucar disponibilizada pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) que é vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA,

Um dos objetivos da CONAB é realizar o levantamento de dados sobre séries históricas de preços, que com base nesta fonte de dados disponibilizada, as autoras Alana Beatriz Cardozo Dos Santos, Alanis Mayumi dos Santos, Ana Carolina Jesus Calixto, Julia, Maria Defavari Sarto, Natalia Cristina Rodrigues e Thais Martins Balbi apresentam uma descrição desta fonte e formas de visualização dos dados através de gráficos. 

Como exemplo a apresentação da série histórica de produtividade em kg/ha das macrorregiões e do Brasil através de um gráfico de linha. Para maiores informações acesse: Análise da Série Histórica da Cana-de-Açucar 

O CoDAF também apresenta a descrição de outras fontes de dados por meio do portal, disponíveis em: http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados

 

Fontes:

Importância da Cana-de-Açucar. Disponivel em:<http://www.mecatronica.eesc.usp.br/wiki/index.php/Import%C3%A2ncia_da_cana-de-a%C3%A7%C3%BAcar>, Acesso em 3 de agosto de 2017.

Industria da cana registra saldo positivo na geração de empregos no país. Disponível em:<http://www.unica.com.br/noticia/7657299920336510230/industria-da-cana-registra-saldo-positivo-na-geracao-de-empregos-no-pais/>.Acesso em 3 de agosto de 2017.

Análise da série histórica da produção de Cana-de-Açúcar publicada pela CONAB. Disponível em:<http://codaf.tupa.unesp.br/agricultura-familiar/fontes-de-dados/1027-analise-da-serie-historica-da-producao-de-cana-de-acucar-publicada-pelo-conab-em-2017>.Acesso em 3 de agosto de 2017.

Palestra “Recuperación de datos sobre educación ambiental em los portales oficiales do gobierno de los países de América del Sur” é ministrada no III CEDIT.

Foi realizado em 8 de julho de 2017 a terceira edição do evento Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (III CEDIT), que é organizado pelo projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF), na Faculdade de Ciências e Engenharia (FCE) – UNESP Tupã/SP em que contou com apresentações que abordaram temas relacionados com Dados, Informação e Tecnologia.

Uma das palestras ministradas foi a “Recuperación de datos sobre educación ambiental em los portales oficiales do gobierno de los países de América del Sur” pela Profª. Ms. Maria Laura Foradori da Universidad Nacional de Córdoba Argentina, que comparou o cenário da disponibilização de dados sobre educação ambiental em portais governamentais de países como Argentina e Brasil

A palestra foi gravada e esta disponivel no canal do youtube do projeto CoDAF através do link: https://youtu.be/S-gcI6iXAPs.

 

Curso de Registro de Marcas é realizado em Marília, com participação do CoDAF

Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação – ASSERTI de Marília/SP, organizou na quinta-feira dia 27 de Julho de 2017 o workshop “Processos de Registro de Marcas” realizado no Centro Universitário Eurípides de Marília – UNIVEM.

O membro do CoDAF Pedro Henrique Santos Bisi, mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Informação da Universidade Estadual Paulista (UNESP) – Campus de Marília, foi convidado para participar do curso, que abordou “Conceitos Básicos de Marca”, “Importância do Registro”, “Processo Eletrônico de Registro de Marca”, “Acompanhamento de Processo Eletrônico”, “Atividades Práticas e Consulta de Marcas” e “Depósito do Pedido de Registro”.

O objetivo é adquirir conhecimentos teóricos e práticos sobre Registros de Marcas para replicar aos pequenos produtores o conhecimento adquirido, aplicando-os no contexto do setor agrícola, em que o registro de marca permita a venda de seus produtos  com a possibilidade de reconhecimento pelos clientes aumentando a possibilidade de fideliza-los, tornando-se um diferencial competitivo.

* Convite cedido gentilmente pela ASSERTI.

3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT)

 

O 3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT) ocorreu no dia 08 de julho de 2017, no auditório da Faculdade de Ciências e Engenharia (UNESP/Tupã), e contou com apresentações que abordaram temas relacionados com a utilização de tecnologias informacionais para acesso a dados em diversos contextos.

A apresentação da Profa. Ms. Elizabete Monteiro (UNESP/Marília), intitulada "Propriedade intelectual no contexto acadêmico e profissional", ressaltou a importância das patentes e dos registros de obras como forma de preservar e referenciar os direitos dos autores pelas suas criações intelectuais.  

Na sequência, o estudante de Administração, Leonardo Franchi (UNESP/Tupã) demonstrou aspectos relacionados com a utilização de recursos Web para construção de visualizações de dados, na palestra intitulada "Tecnologias para visualização de dados".

A Prof. Renata Pinheiro (ETEC/Marília) apresentou uma proposta de oficina para trabalhar práticas de gestão em propriedades rurais de pequeno porte com o uso de recursos informacionais, intitulada "Modelagem de negócios com Design Thinking e Canvas".

A quarta apresentação do encontro, realizada pelo mestrando Victor Borba (UNESP/Marília), trouxe opções de "Dispositivos móveis na agricultura", evidenciando opções de aplicativos para ser utilizado nas práticas agrícolas.

A edição do evento foi concluída com a palestra da Profa. Ms. Maria Laura Foradori (Universidad Nacional de Córdoba/Argentina),intitulada "Recuperación de datos sobre educación ambiental en los portales oficiales de gobierno de los países de América del Sur", comparando o cenário da disponibilização de dados sobre educação ambiental em portais governamentais de países como Argentina e Brasil.

A próxima edição do evento esta prevista para o mês de Setembro e é aberta para toda comunidade acadêmica, sem custos de participação, objetivando o compartilhamento de conhecimento entre professores, alunos de graduação e de pós-graduação. 

O arquivo com os slides das apresentações do 3º CEDIT encontram-se disponíveis, clicando aqui.

WhatsApp Image 2017 07 26 at 20.25.26

 

IV Encontro Competências Digitais para Agricultura Familiar abre o processo de submissão para artigos

A quarta edição do Encontro Competências Digitais para Agricultura Familiar (IV e-CoDAF) acontecerá nos dias 10 e 11 de Novembro de 2017 e este ano tem como objetivo levantar reflexões a respeito do uso de dados no setor rural, seguindo o tema “TRANSFORMANDO DADOS EM POTENCIAL COMPETITIVO PARA PEQUENOS PRODUTORES".

O evento é organizado pelo projeto Competências Digitais para Agricultura Familiar (CoDAF) e neste ano conta com o apoio de instituições de ensino superior como UNESP - Tupã, FATEC - Presidente Prudente e Universidade Federal do Pará, e terá transmissão simultânea entre os pólos com o objetivo de ampliar a visibilidade e o alcance dos resultados, facilitando a troca de informações acerca do uso das TICs no meio rural.

O IV e-CoDAF será dividido em dois dias: No primeiro dia ocorrerão palestras ministradas por profissionais, pesquisadores e professores nacionais e internacionais abordando a temática do evento, junto com as apresentações dos trabalhos aprovados; No segundo dia o evento terá como foco a realização de oficinas para contribuir com o desenvolvimento de competências digitais.

O período de submissão de trabalhos para o IV e-CoDAF estende-se até 31/08/2017, e pode ser realizado por meio do endereço eletrônico: http://codaf.tupa.unesp.br:8083 

Os Anais do evento terão selo ISSN.

Contamos com sua participação, para mais informações visite o portal do evento: http://codaf.tupa.unesp.br:8083

ecodaf-noticia-submissao

 

Conclusão dos encontros do grupo CoDAF no primeiro semestre

Na  sexta-feira, dia 23 de Junho, o grupo CoDAF concluiu seu ciclo de encontros presenciais no semestre com a realização da oficina "Identificação e representação de Fontes de Dados sobre Agricultura Familiar", na qual os participantes localizaram bases de dados na Web que continham informações que podem ser úteis para pequenos produtores, aplicando elementos de visualização para facilitar a apresentação e uso dos dados. 
 
O conteúdo gerado durante a oficina será incluído no Portal CoDAF ao longo do mês de Julho, e é resultado dos debates realizados durantes os encontros realizados no primeiro semestre, em que foram debatidos temas para pesquisas relacionadas com agricultura e tecnologia, apresentando instrumentos e fontes para coleta de dados.
 
Após a oficina, houve a palestra internacional da doutoranda Maria Laura Foradori, que abordou "A Questão da Informação e dos Dados na Legislação Ambiental da Argentina e do Brasil". A apresentação trouxe assuntos sobre Politicas Públicas, Informação Ambiental, Marco Normativo Regional e Nacional. Os slides da palestra encontram-se disponível em: clique aqui para baixar.
 
Os encontros presenciais serão retomados a partir da primeira semana do mês de Agosto. Durante o mês de Julho as atividades serão concentradas nas pesquisas individuais e coletivas realizadas entre os integrantes.

III CEDIT acontece no dia 08 de julho

cedit iii

O 3º Ciclo de Estudos Dados, Informação e Tecnologia (CEDIT), será organizado no dia 08 de julho de 2017, às 14 horas, no auditório Shunji Nishimura da Faculdade de Ciências e Engenharia - UNESP/Tupã.

Nesta edição, o evento abordará temas como o uso de tecnologias para visualização, gestão e acesso a dados na agricultura, questões sobre direitos autorais no contexto acadêmico/profissional e recuperação de dados sobre educação ambiental na web. As apresentações serão ministradas por pós-graduandos e professores de áreas correlatas a Ciência da Informação, Administração e Tecnologia.

A programação para o CEDIT contará com apresentações de 15 minutos, como mostra o cronograma a seguir:

(14:00) Recepção e Inscrição

(14:20) "Propriedade intelectual no contexto acadêmico e profissional" - M.S. Elizabete Monteiro

(14:40) "Tecnologias para visualização de dados" - Leonardo Franchi

(15:00) "Tecnologias de gestão para agricultores familiares: Modelagem de negócios com Design Thinking e Canvas" - Renata Pinheiro

(15:20) "Dispositivos móveis na agricultura" - Victor Borba

(15:40) "Recuperación de datos sobre educación ambiental en los portales oficiales de gobierno de los países de América del Sur" - Maria Laura Foradori

(16:00) Perguntas e discussões

(16:30) Encerramento

As inscrições serão realizadas na recepção do evento.

 

 

RECoDAF está no Qualis da Capes

Esta semana a RECoDAF passou a ser avaliada no sistema Qualis da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nìvel Superior (Capes), classificada como B5 na área de Ciência da Informação.

A avaliação Qualis é um conjunto de procedimentos utilizados pela Capes para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas brasileiros de pós graduação.

A inclusão da ReCoDAF neste seleto grupo de periódicos avaliados pela Capes é vista como uma grande conquista do Projeto Competências Digitais para Agrícultura Familiar e uma grande contribuição para o compartilhamento e promoção do conhecimento formulado nas pesquisas desenvolvidas.

Segundo os editores professores Fernando de Assis Rodrigues e Diana Vilas Boas Souto Aleixo, a conquista é fruto da colaboração entre equipe interna, colaboradores, avaliadores e autores, e nos próximos 2 anos a equipe da RECoDAF irá se esforçar para não só manter esta posição de destaque no cenário brasileiro, mas também ampliarão sua atuação nas bases de dados internacionais e nos índices norteamericanos e europeus.