Main menu

conab

  • Base de dados do preço do café

    O café tem um histórico no Brasil, visto que desde décadas atrás o mesmo apresenta um impacto na economia do pais, sendo adorado por seus consumidores a ponto de se tornar cultural a ingestão do produto. Pelo devido motivo, as indústrias tornam esse produto competitivo a ponto de ser necessário o controle/análise do seu preço de acordo com inúmeras variáveis.

    Informações sobre a origem dos dados

    A CONAB é uma empresa pública que abrange todo o país, contribuindo para as políticas públicas relacionadas ao abastecimento alimentar do território brasileiro, estando presente em todos os processos anteriores ao cultivo até a chegada do produto na mesa dos consumidores. As informações disponíveis encontram-se na web.

    Nome da Fonte: Preço do café
    Endereço para acesso à fonte: http://sisdep.conab.gov.br/precosiagroweb/

    O processo para se entrar na base de dados descrita é: Acesso ao site da “CONAB”, acesso aos “preços agropecuários”, podendo assim consultar o preço.

    Informações sobre os dados

    Os arquivos contendo os dados podem ser baixados no formato “(XLS)”, e pode ser aberto pelo Microsoft Office Excel ou LibreOffice Calc. Assim como, também
    podem ser recuperadas em pdf caso necessário.
    A planilha é composta por:

    Produto/Unidade – Descrição das variações de café para visualização mais detalhada.

    Nível de comercialização – A forma em como é comercializada.

    U.F – Os estados que o país compõe.

    Data – Todos os dias e meses que o período pedido compõe.

    Visualização dos dados

    Os dados foram moldados graficamente para melhor visualização das informações necessárias, sendo possível analisar de maneira mais dinâmica as curvas do gráfico que indicam declínio ou elevação referente a cada caso.
    Podendo-se comprara variáveis preço com estado por região em diferentes modos de compra e, o preço do produto em questão na região de São Paulo.

    Autores: Fernando Barbosa Ubiali*; Larissa Kiill Gasparoto*; Mariana Ayumi Amano*; Pedro Oliveira Marques*; Rodrigo Coltro Belzer*; Elias Takeshi Tanaka*.

    * Alunos do curso de Administração de Empresas da Universidade Estadual Paulista - "Júlio de Mesquita Filho".

  • Conjunto de dados sobre a Safra do Trigo

    O trigo é uma commodity utilizada em produtos alimentícios (macarrão, farinha, biscoitos, pães, doces, etc.), para produtos não alimentícios (misturas adesivas e de impressão, colas, álcool, antibióticos, etc.) e também na alimentação animal (feno, grão ou na composição de ração). Além disso, a produção no Brasil é de alta relevância, de tal forma que incentivou ao grupo fazer a análise de dados sobre produtividade/área plantada e também uma comparação entre os anos de 2012 a 2016, mostrando uma previsão para o ano de 2017.

    Informações sobre a origem dos dados

    Os dados utilizados no trabalho foram retirados do site da CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento), que atua no âmbito de estudos e estatísticas dos preços de produtos agrícolas (custo da produção, expetativa de plantio, colheita do grão, volume e localização de estoques). Sendo uma empresa pública vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que tem como objetivo a contribuição para a decisão dos responsáveis dos elos da cadeia: nas áreas de produção, armazenamento e distribui- ção. Disponibilizando dados sobre: safras; agricultura familiar; armazéns da CONAB; preços praticados no PAA (Programa de Aquisição de Alimentos); relatórios anuais de auditorias internas e sobre gestão; editais de tendências regionais e também sobre a matriz da CONAB; estoques privados, públicos e séries históricas; conjunturas mensais e semanais;leilões agropecuários; publicações entre outros.

    Nome da Fonte: Séries históricas da safra do trigo

    Instituição mantenedora: Companhia Nacional de Abastecimento (Conab): Agricultura e abastecimento em boa companhia

    Endereço para acesso à fonte: http://www.conab.gov.br/index.php

    Descrição do processo de navegação até a fonte de dados

    Primeiro Passo: Acessar o hiperlink do site da CONAB apresentado acima, depois seguir os retângulos laranjas destacados na figura abaixo, sendo eles: produtos e Serviços, Safras e Séries históricas.

    Segundo passo: O item “séries históricas” entrará em uma segunda página, como mostra a Figura 2 abaixo. Na qual, você seleciona o número 3, destacado pelo quadro laranja que apresentará o arquivo escolhido, trigo. Assim para encontrar a base de dados deverá ser clicado em cima do nome “trigo” que o retângulo laranja na figura abaixo está apresentando.

    Informações sobre os dados

    O formato do arquivo acessível na fonte de dados é .xls.

    Na primeira aba, há uma tabela da série histórica da área plantada em mil hectares, referente ao trigo, nas safras de 2000 à 2016. A primeira coluna é dada a Região/UF, como: Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste, Sul, Norte/Nordeste, Centro-Sul, Brasil. Sendo as demais colunas, as safras de 2000 à 2016 com seus respectivos valores.

    Na segunda aba, possui uma tabela relacionada à série histórica de produção (trigo) em mil toneladas. Encontra-se na primeira coluna a Região/UF, sendo, Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste, Sul, Norte/Nordeste, Centro-Sul, Brasil. As colunas seguintes, são dadas as safras desde 2000 até 2016, com seus devidos valores.

    Na terceira aba, apresenta uma tabela da série histórica de produtividade em kg/ha, onde a primeira coluna temos a Região/UF (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste, Sul, Norte/Nordeste, Centro-Sul, Brasil) e em sequência, as colunas das safras de 2000 até 2016 juntamente com seus valores adquiridos.

    Na quarta aba, foi encontrada a tendência para 2017. E para melhor visualização, desenvolveu-se uma tabela dinâmica, contendo: Região/UF no campo Colunas, a Somatória dos valores das safras de 2012 à 2017 no campo Linhas, e depois o total geral. Assim, por meio desta tabela, construiu-se um gráfico de linhas (por ser série histórica) com os dados obtidos. No gráfico, é possível observar a diferença em cada ano e a linha pontilhada é a tendência de 2017.

    Na quinta aba, obteve-se uma tabela dinâmica contendo as seguintes informações: nas colunas têm os dados que seriam Brasil, Centro-Sul, Nordeste, Norte, Sudeste e Sul, e nas linhas a somatória de cada ano, desde 2000 até 2016. Disso, construiu-se um gráfico para ter uma análise temporal da produtividade, tendo na legenda as Regiões/UF e no eixo, a somatória dos valores de cada ano.

    Visualização dos dados

    Para descrição das informações foram geradas visualizações gráficas sobre os dados escolhidos. O gráfico abaixo apresenta uma evolução histórica sobre a produtividade do trigo sendo representada pela fórmula abaixo.

    Referência:

    AMORIM, D. Nordeste passa o Sudeste na produção de grãos pela 1ª vez,2015. Disponível em:. Acesso em 03 jul. 2017.

    BRUM, A. L.; MULLER, P. K. A realidade da cadeia do trigo no Brasil: o elo produtores/cooperativas, 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/resr/v46n1/a07v46n1.pdf > Acesso em 03 jul. 2017.

    CANZIANI, J. R.; GUIMARÃES, V. D. A. O trigo no Brasil e no mundo: cadeia de produção, transformação e comercialização. In: CUNHA, G. R. da (Ed.). Oficina sobre trigo no Brasil: bases para a construção de uma nova triticultura brasileira. Passo Fundo: Embrapa Trigo, 2009. p. 29-72.

    COÊLHO, J. D.; XIMENES, L. J. F. Produção de grãos no Nordeste: de olho na China. ETENE,2, 27-39, out. 2016.

    Autores: Adônis Barbosa Carreira*; Ana Carolina Nascimento Nóbrega*; Mariana Oliveira Furlan*; Patrícia Hoshijima*; Sabarrah Maria Jorge*.

    * Alunos do curso de Administração de Empresas da Universidade Estadual Paulista - "Júlio de Mesquita Filho".

     

  • Dados sobre a safra de cana-de-açúcar no Brasil da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB)

    Nesta fonte estão disponibilizados conceitos sobre a safra da cana-de-açúcar industrial disponibilizadas pela CONAB, esta sendo descrito dados sobre series históricas de área plantada, produtividade e produção relacionados as safras de 2005/06 a 2015/16.

    Informações sobre a origem dos dados

    A Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) é uma autarquia do governo federal, ligada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a mesma foi criada através do Decreto Presidencial e autorizada pela Lei no8.029, de 12 de abril de 1990, porem suas atividades tiveram inicio em janeiro de 1991.

    A Conab é a responsável por gerir a politicas publicas agrícola e abastecimento, visando garantir as necessidades básicas da sociedade, estimulando e garantindo os mecanismos de mercado, a Conab atua em todo território nacional e tem como instrumentos básicos politicas para garantia de preços mínimos, premio para escoamento de produtos, contrato de opção, vendas em balcão, programa destinadas aos pequenos criadores e agroindústrias de pequeno porte.

    Nome da Fonte:Séries Históricas de Área Plantada, Produtividade e Produção, Relativas às Safras, 2005/06 a 2016/17 de Cana-de-Açúcar

    Instituição mantenedora: Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)

    Endereço para acesso à fonte:http://www.conab.gov.br/conteudos.php?a=1252&t=2&Pagina_objcmsconteudos=2#A_objcmsconteudos

    Informações sobre os dados

    A serie histórica foi encontrada no formato .xls(planilha eletrônica),  e pode ser aberto pelo Microsoft Office Excel ou LibreOffice Calc.

    Na mesma é possível localizar as seguintes informações nas colunas, conte as regiões das unidades federativa do Brasil e o período que corresponde a cada safra, já nas linhas são especificada as regiões (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul) e total do Brasil, isso nas linhas da primeira coluna, nas demais linhas são encontradas informações referente a cada safra, essa informações na primeira planilha é descrita na for de mil toneladas, na segunda em mil litros e nas demais em percentual.

    Visualização dos dados

    Será descrito abaixo através dos gráficos series históricas da produção de açúcar, do etanol e de ATR (açúcar total recuperável):

    Autores: Christian P. Zulian*; Jose A. Zaine*; Lucas R. R. de Farias*; Marcela F. Pires*; Mariana C. S. Silva*; Paulo Jose da S. Junior*.

    * Alunos do curso de Administração de Empresas da Universidade Estadual Paulista - "Júlio de Mesquita Filho".

     

     

  • Séries históricas da área plantada e produtividade do milho no centro-oeste brasileiro nas primeiras e segundas safras desde 1976/1977 até 2015/2016

    Os dados são originários de levantamentos e estudos realizados pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) com relação a cultura do milho no Brasil. A CONAB disponibiliza tais informações para sociedade, em geral, e para elos da cadeia do milho, em específico, com vistas à auxiliar os agentes dessa na tomada de decisão com base em informações de relevância, qualidade e confiabilidade.

    Informações sobre a origem dos dados

    A função da CONAB é fornecer subsídios para a formulação e execução de políticas públicas agropecuárias para o abastecimento alimentar no país, no âmbito da Política de Garantia de Preços Mínimos, em especial, a Aquisição do Governo Federal (AGF), instrumento capaz de equilibrar a renda do produtor rural, do agricultor familiar e de suas cooperativas, frente a oscilação do preço no mercado (BRASIL, 2017).

    Assim, suas ações contribuem com a decisão do agricultor na hora de plantar, colher, armazenar, seguindo até a distribuição do produto no mercado, além de preservar e estimular uma melhor organização desse mercado (SILVA, 2016).

    Para assegurar a decisão do agricultor, a CONAB realiza estudos de estatísticas de preços, demandas e ofertas, assim como os levantamentos de custos de produção da agropecuária, a expectativa de plantio de colheita de grãos, além do volume e localização de estoques públicos e privados de uma gama de  produtos. A estimativa da produção sucroalcooleira e outras informações pertinentes são estendidas também à safra de café e de cana-de-açúcar (BRASIL, 2017a).

    A CONAB é uma empresa pública vinculadas ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

    • Nome da fonte: Milho total (1a e 2a safra) - Brasil. Série histórica de área plantada/produtividade. Safras 1976/77 a 2015/2016.

    • Endereço eletrônico para acesso à fonte:  <http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/17_06_08_14_01_06_milhototalseriehist.xls>.

    • Descrição do processo de navegação até a fonte: O acesso se deu pelo seguinte site www.conab.gov.br, foi selecionado a aba “PRODUTOS E SERVIÇOS”, em seguida “SAFRAS” e com isso foi selecionado a opção “SÉRIES HISTÓRICAS”.

    Informação sobre os Dados

    • Formato do arquivo: O arquivo é apresentado em extensão .xls, ou seja, em formato de planilha eletrônica.

    • Descrição dos atributos dos dados: Nesta planilha os dados encontram-se dispostos da seguinte maneira: nas colunas são descritos os anos referentes às safras e nas linhas as regiões, a saber, Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, com seus respectivos estados. A intersecção de linhas e colunas, no caso da aba de produtividade, traz os dados na unidade de kg/ha. Já no caso da aba de área plantada, os dados são apresentados em mil hectares. No entanto, para a finalidade deste trabalho realizamos a conversão desse último para hectares, ou seja, multiplicando por 1000.

    Visualização dos Dados presentes na Fonte descrita

    Gráfico 1 - Área plantada do milho no Centro-Oeste de 1976/77 a 2015/16

    1

    Fonte: Elaborado pelos autores com base em CONAB, 2017.

    Gráfico 2 - Produtividade do milho no Centro-Oeste de 1976/77 a 2015/16

    2Fonte: Elaborado pelos autores com base em CONAB, 2017.

    A partir das linhas obtidas com base nas séries temporais, podem ser observadas as tendências de crescimento ou decrescimento da área plantada ao longo dos anos, no Gráfico 1, ou do crescimento ou decrescimento da produtividade ao longo dos anos, Gráfico 2.

    Com tais informações, apresentam-se como possibilidades quatro cenários, portanto, quatro possíveis possibilidades de leitura desses com relação a área plantada/produtividade, são eles:

    1.  Aumento da área plantada com concomitante aumento da produtividade;
    2.  Aumento da área plantada com concomitante diminuição da produtividade;
    3.  Diminuição da área plantada com concomitante aumento da produtividade;
    4.  Diminuição da área plantada com concomitante diminuição da produtividade.

    Autores: Abner Edwin Perico*, Caroliny dos Santos Hamada*, Daniele Guastalli Moreno*, Fernando da Cruz Souza*, Ingrid Mariano Brito*, João Augusto Rodrigues* e Thaís de Oliveira Rodrigues*.

    * Alunos do curso de Administração de Empresas da Universidade Estadual Paulista - "Júlio de Mesquita Filho".