Main menu

O Instituto de Economia Agrícola (IEA) faz parte da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), sendo um órgão da Secretária de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, e a primeira instituição a dissertar estudos sobre a economia agrícola brasileira.

O IEA elabora pesquisas em conjunto com a Coordenadoria de assistência Técnica Integral (Caiti) sobre estatísticas de preço, área de produção, salários e entre outros temas. Os dados estatísticos levantados servem de modelo para instituições e são referências para os produtores, varejistas e atacadistas.

Informações sobre a fonte de dados

O Instituto de Economia Agrícola disponibiliza uma base que contém dados sobre a agricultura brasileira:
Portal: Instituto de Economia Agrícola – SP
Fonte: Banco de Dados
Link: http://www.iea.sp.gov.br/out/bancodedados.html
Após o acesso ao site, dirigiu-se a aba denominada Banco de Dados, onde foi escolhido o item ‘Preços Agrícolas’ selecionado o terceiro item, ‘Preços Médios Mensais Recebidos pelos Agricultores’. Depois, foi escolhido o produto ‘Leite Cru Refrigerado’, no período de Janeiro de 2016 até Janeiro de 2017, a partir disso, foi gerada uma tabela na própria página com os dados.

Informações sobre os dados 

Os dados foram apresentados em uma planilha no formato.xlsx, contendo as colunas: produto, mês, ano, moeda, preço e unidade. Dentre as variáveis, temos o mês, o ano e o preço.

O mês e o ano variam de Janeiro/2016 à Janeiro/2017. O preço varia de R$1,03 e R$1,51.

Visualização dos dados 

A partir da analise da consulta de preços médios, foi gerado o seguinte gráfico: 

Gráfico 1 - Preço Médio do Leite Cru de Jan/2016 a Jan/2017

 

Fonte: Autores

Com este gráfico é possível analisar a variação do preço do leite no período de um ano. Pode-se ver que o maior preço do leite foi em setembro de 2016 e o menor em fevereiro do mesmo ano e tendo como um preço médio o valor de R$1,26.

Se for analisado dados mais antigos, pode-se ter uma analogia da época que o leite é mais caro e assim iniciar estudos para saber o real motivo desse aumento. No caso de 2016, percebe-se que o período em que o preço é mais elevado é entre o meio de ano (entre junho e outubro), após essa época o preço começa a cair.

Autores: Ana Clara Palmieri*, Gabriela Simão*, Giovanna Lorenzi Pinto*, Júlia Maldonado Passos*, Rafaela Mendes*.

* Alunos do curso de Administração de Empresas da Universidade Estadual Paulista - "Júlio de Mesquita Filho".